Busca avançada
Ano de início
Entree

Propriocepção, visão e comportamento egocêntrico de crianças de 5 a 9 anos de idade em ações manipulativas

Processo: 10/08122-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2010 - 31 de julho de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Edison de Jesus Manoel
Beneficiário:Edison de Jesus Manoel
Instituição-sede: Escola de Educação Física e Esporte (EEFE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Desenvolvimento motor  Cognição  Propriocepção  Crianças 

Resumo

Ações motoras, além de terem como característica fundamental a intencionalidade, também são marcadas por uma complexa relação sensório-motora que compreende o processamento de informações sensoriais do próprio corpo e obtidas externamente (aferência), as quais são agregadas as informações do sistema nervoso endereçados ao sistema muscular (eferência). A organização e a condução das ações dependem, em grande medida, da coordenação sensório-motora. O estabelecimento da coordenação sensório-motora é talvez o fato evolutivo mais antigo e universal no que concerne à motricidade, sendo comum a todos os seres vivos, sejam eles unicelulares ou pluricelulares. As concepções tradicionais sobre essa coordenação assumiam uma visão mecânica do processo em que o organismo processa informações do ambiente, as percebe, toma decisões, programa sua resposta e efetua os movimentos. Todavia, na última década, essas concepções têm sido postas de lado em favor de uma visão mais dinâmica onde para perceber é preciso agir, e o agir só se dá a partir da percepção. Além disso, evidências neurofisiológicas denotam que toda percepção se dá no limite do corpo e, portanto, toda coordenação sensório-motora tem no corpo do agente/ator sua principal referência. Jean Piaget foi um autor essencial em mostrar que o conhecimento não está nem no sujeito (o que conhece), nem nos objetos (o que é conhecido), mas na relação entre eles que é mediada pela ação do primeiro sobre o segundo. Nesse processo, há uma transição fundamental na infância que se refere à passagem do comportamento egocêntrico (ações de primeiro grau) para o comportamento descentrado (ações de segundo grau). A propriocepção e a visão são vias sensoriais essenciais na coordenação sensório-motora subjacente às ações motoras e o período entre 5 e 9 anos de idade é particularmente importante na capacidade de usar essas informações na programação e controle das ações. Coincidentemente, esse período é marcado por transições no comportamento da criança que gradualmente deixa de ser egocêntrico. Até esta data não temos conhecimento de estudos que tenham considerado o desenvolvimento da percepção intrasensorial ou modal (proprioceptiva e visual) e intersensorial ou intermodal (integração propriocepçao-visão) em relação às características egocêntricas presentes no desenvolvimento psicológico da criança. O presente estudo focalizará a possibilidade de heterocronia entre diferentes tipos de desenvolvimento: o da percepção modal e intermodal com o dos modos de agir da criança (egocêntrico e descentrado). (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MANOEL, EDISON DE J.; VIANA FELICIO, PEDRO FERNANDO; MAKIDA-DIONISIO, CRISTIANE; SOARES, RAFAEL DO NASCIMENTO; FREITAS, ALESSANDRO; GIMENEZ, ROBERTO. Proprioceptive-Visual Integration and Embodied Cognition: A Developmental Perspective. PERCEPTUAL AND MOTOR SKILLS, v. 123, n. 2, p. 460-476, OCT 2016. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.