Busca avançada
Ano de início
Entree

Treinamento de força com oclusão vascular: alterações hormonais, morfológicas e moleculares

Processo: 09/09820-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2009 - 30 de novembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Valmor Alberto Augusto Tricoli
Beneficiário:Valmor Alberto Augusto Tricoli
Instituição-sede: Escola de Educação Física e Esporte (EEFE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Treinamento de força  Oclusão vascular mesentérica  Anóxia  Hormônio do crescimento  Fator de crescimento insulin-like I  Hipertrofia  Músculos 

Resumo

O treinamento de força (TF) combinado com oclusão vascular (TFOV) tem sido proposto como uma nova estratégia para o aumento de força e da massa muscular. Estudos recentes têm demonstrado que o TFOV em baixas intensidades (20-50% 1RM) produz ganhos de força e hipertrofia similares ao TF em alta intensidade (80% 1RM). No entanto, os possíveis mecanismos envolvidos nessas adaptações não são muito claros. Uma possibilidade apresentada afirma que a hipóxia induzida pela oclusão elevaria as concentrações de hormônio de crescimento (GH), testosterona, IGF-1 e cortisol. Os três primeiros hormônios reconhecidamente contribuem para a síntese protéica. Porém, o ganho de massa muscular é determinado pelo balanço entre a síntese e a degradação protéica. Desta forma, não somente a ativação das vias de síntese, mas também uma maior inibição aos mecanismos de degradação protéica contribuiria para o aumento da massa muscular. A miostatina é um regulador negativo no ganho de massa muscular e até o presente momento não se sabe qual é o efeito do TFOV sobre sua atividade no músculo esquelético. Portanto, o objetivo deste estudo será investigar o comportamento da miostatina, a alteração hormonal e a adaptação funcional frente a diferentes protocolos de TF com e sem oclusão vascular. Para tanto, os sujeitos do estudo serão divididos em três grupos (20% 1RM com oclusão, 20% e 80% 1RM sem oclusão) e submetidos a oito semanas de TF no exercício de extensão de joelhos. Antes e após o período de treinamento será medida a força dinâmica máxima, a área de secção transversa do quadríceps femoral, a concentração plasmática de GH, testosterona, IGF-1 e cortisol e a atividade do gene da miostatina. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
LAURENTINO, GILBERTO CANDIDO; UGRINOWITSCH, CARLOS; ROSCHEL, HAMILTON; AOKI, MARCELO SALDANHA; SOARES, ANTONIO GARCIA; NEVES, JR., MANOEL; AIHARA, ANDRE YUI; CORREA FERNANDES, ARTUR DA ROCHA; TRICOLI, VALMOR. Strength Training with Blood Flow Restriction Diminishes Myostatin Gene Expression. MEDICINE AND SCIENCE IN SPORTS AND EXERCISE, v. 44, n. 3, p. 406-412, MAR 2012. Citações Web of Science: 170.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.