Busca avançada
Ano de início
Entree

Origens da escola de enfermagem de Ribeirão Preto sob a ótica de Glete de Alcântara

Processo: 08/10170-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2009 - 31 de julho de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem
Pesquisador responsável:Luciana Barizon Luchesi
Beneficiário:Luciana Barizon Luchesi
Instituição-sede: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):10/15743-0 - Origens da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto sob a Ótica de Glete de Alcântara, BP.TT
09/10185-2 - Origens da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto sob a Ótica de Glete de Alcântara, BP.TT
Assunto(s):História da enfermagem  História oral 

Resumo

A década de 40 e 50 representam períodos de consolidação da Enfermagem enquanto profissão. Neste cenário da Enfermagem moderna e com inserção na universidade que a Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP-USP) inicia sua história, com influências deste contexto histórico-social. Não se pode pensar no avanço desta instituição sem resgatar a trajetória de Dra. Glete de Alcântara, enfermeira formada pela School of Nursing of Toronto, Canadá, fundadora e diretora da instituição por duas décadas, presidente da Associação Brasileira de Enfermagem por duas vezes, autora da primeira tese de cátedra de Enfermeiro na América Latina, em 1963. Sua liderança e impacto na Enfermagem enquanto instituição alcançou níveis internacionais, tornando-se um ícone conhecido da História da Enfermagem Brasileira. Este mito ainda pouco estudado parece ter influenciado o avanço da EERP-USP. A instituição destacou-se, na linha histórica da profissão, através da criação do terceiro programa de Pós-Graduação do país, na década de 70 e único até os dias atuais na linha de Enfermagem Psiquiátrica, da parceria com a Escola de Enfermagem de São Paulo que deu origem ao primeiro programa de doutorado do país, em 1981 e sua designação como Centro Colaborador da Organização Mundial da Saúde para o desenvolvimento da pesquisa em Enfermagem desde 1988.Entretanto, estes dados são frutos de parcos estudos sobre a história de uma instituição tão importante na construção da Enfermagem enquanto profissão e saber científico, demandando assim, um olhar mais aprofundado desta trajetória histórica.A pesquisa possui como objetivo geral resgatar dados da história da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, de 1951-1961, com um olhar focado no personagem Glete de Alcântara, através da carreira acadêmica da docente.Trata-se de um estudo qualitativo, de perspectiva histórica com utilização do método da história oral e pesquisa documental. Esta metodologia será empregada em virtude da necessidade de construir fontes secundárias em relação ao período de 1951-1961, assim como incorporar as existentes, possibilitando a análise da interlocução entre o discurso oficial e discurso dos personagens que construíram a história da Instituição.Os locais de busca de fontes serão: Centro de Memória e Arquivo permanente da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto EERP-USP, Museu da Faculdade Medicina de Ribeirão Preto-USP, arquivo público de Ribeirão Preto, Biblioteca Central do Campus de Ribeirão Preto e de São Paulo. O alvo central de pesquisa serão decretos, ofícios, atas de reuniões, entre outros documentos que relatem informações relevantes sobre a criação da EERP e a atuação da docente no período de 1951-1961 .O projeto foi encaminhado ao Comitê de Ética em Pesquisa da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto. Para as entrevistas será solicitado o Consentimento Livre e Esclarecido aos indivíduos participantes da pesquisa, autorização para utilização e publicação do conteúdo da entrevista através do termo de transferência de direitos autorais para o projeto, além de solicitar a possibilidade de doação dos direitos autorais para a EERP-USP, com cópia para acesso público junto ao Centro de Documentação da EERP-USP. A importância desta abordagem, busca possibilitar futuros estudos biográficos, além dos muitos outros temas que poderão ser abordados.A análise dos documentos será norteada pelas definições de Bardin (1977) no que se refere à análise documental. Desta forma pretende-se organizar, indexar e sintetizar os fatos, construindo uma linha temporal a fim de promover uma interlocução e comparação com o discurso não oficial dos relatos orais.Os relatos orais serão analisados segundo a perspectiva da análise de conteúdo preconizadas por Bardin (1977). (AU)