Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do plantão de 24 horas sobre a pressão arterial e o perfil de risco cardiovascular em enfermeiros e médicos que atuam no atendimento pré-hospitalar

Processo: 08/08200-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2008 - 30 de abril de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem de Doenças Contagiosas
Convênio/Acordo: CNPq - PPSUS
Pesquisador responsável:Angela Maria Geraldo Pierin
Beneficiário:Angela Maria Geraldo Pierin
Instituição-sede: Escola de Enfermagem (EE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Fatores de risco  Hipertensão  Doenças cardiovasculares  Médicos  Enfermeiros 

Resumo

RESUMO Os enfermeiros e médicos que atuam no atendimento pré-hospitalar podem estar expostos a maior desgaste físico e psicológico devido às características peculiares da sua atividade. O presente estudo caso-controle tem como objetivos principais analisar a influência do plantão de 24 horas sobre a pressão arterial e identificar demais fatores de risco para afecções cardiovasculares, em enfermeiros e médicos que atuam no atendimento pré-hospitalar. A amostra do estudo será obtida através da amostragem não probabilística de conveniência por disponibilidade dos sujeitos da pesquisa. O cálculo da amostra resultou em 130 participantes. O projeto foi avaliado e aprovado por Comitê de Ética. Para a coleta dos dados serão utilizados os instrumentos: a) CAGE- que permite avaliação sobre ingestão de bebida alcoólica. b) Self Reporting Questionnaire (SRQ-20) que realiza rastreamento de possíveis portadores de transtornos mentais menores. c) Inventário de Depressão de Beck para avaliar os sintomas centrais de depressão. d) Escala de Estresse no Trabalho que possibilita avaliar o impacto do estresse ocupacional na saúde e no bem-estar dos empregados. A medida da pressão arterial casual será realizada com aparelho automático validado. A monitorização ambulatorial da pressão arterial (MAPA) será feita com aparelho oscilométrico, durante o plantão de 24 horas no serviço de atendimento pré-hospitalar (Caso) e repetida em um dia de rotina do participante (controle). Será efetuada coleta de sangue com o participante em 12 horas de jejum para realização dos exames de glicemia de jejum, colesterol total e frações (HDL-c e LDL-c) e triglicérides. Serão avaliados ainda a circunferência abdominal, e peso e altura, para se determinar o índice de massa corpórea. Para estimativa do risco cardiovascular serão usadas as tabelas de risco de Framingham e avaliação da Síndrome Metabólica, de acordo com a I Diretriz Brasileira de Síndrome Metabólica. Os dados serão coletados por enfermeiras, alunas de pós graduação e que fazem parte do grupo de pesquisa, nos dois serviços de atendimento pré-hospitalares que atendem a cidade de São Paulo, ora denominados GRAU-193 (grupo de resgate), mantidos pelo Governo do Estado de São Paulo e no Serviço Móvel de Urgência SAMU-192, mantido pela Prefeitura Municipal de São Paulo. As variáveis classificatórias serão avaliadas com o teste Qui-quadrado ou teste exato de Fisher. Nas variáveis quantitativas as médias serão comparadas com testes paramétricos (teste t-Student ou análise de variância) ou com testes não paramétricos (teste da soma de postos de Wilcoson ou Kruskal-Wallis). O nível de significância a ser adotado será de p< 0,05 (unicaudal). As variáveis que apresentarem significância estatística serão utilizadas para a análise multivariada. Os dados serão processados no sistema SPSS v.7.5. Serão considerados significantes os valores de p<0,05.Palavras chave: hipertensão arterial, monitorização ambulatorial da pressão, risco cardiovascular (AU)