Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliacao dos efeitos da adicao de acido polifosforico sobre as propriedades reologicas de ligantes asfalto-borracha compostos com oleo extensor

Processo: 08/58609-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2009 - 31 de julho de 2010
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Civil - Infra-estrutura de Transportes
Pesquisador responsável:Glauco Tulio Pessa Fabbri
Beneficiário:Glauco Tulio Pessa Fabbri
Instituição-sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Envelhecimento 

Resumo

A tentativa de melhorar as propriedades reológicas do ligante asfáltico por meio da incorporação de borracha moída de pneus descartados esbarra em dois obstáculos ainda a serem contornados: a perda de trabalhabilidade da mistura asfáltica, decorrente do aumento excessivo da viscosidade do ligante asfáltico, e a obtenção de ligantes asfalto-borracha que apresentam problemas relativos à estabilidade à estocagem. A indústria tem lançado mão de algumas alternativas para contornar esses obstáculos, no entanto, a formulação de composições que contornem estes dois problemas principais é um alvo ainda a ser alcançado. A produção de ligantes asfalto-borracha estocáveis e com viscosidades toleráveis ao processo construtivo passa obrigatoriamente pela obtenção de uma fórmula que conjugue componentes cujos efeitos possam contornar definitivamente, ou pelo menos minimizar, os problemas de viscosidade excessiva e de instabilidade na estocagem. A literatura indica que o resíduo de óleo de xisto provoca redução da viscosidade do ligante asfalto-borracha, nas temperaturas de usinagem e de compactação das misturas asfálticas, e que o ácido polifosfórico melhora a sua estabilidade à estocagem. Acredita-se que combinações adequadas de ligante asfáltico, borracha moída, resíduo de óleo de xisto e ácido polifosfórico possam fornecer ligantes asfalto-borracha com características reológicas melhoradas, em especial, com menores viscosidades e maior estabilidade à estocagem. O experimento proposto foi concebido para verificar esta hipótese. As contribuições pretendidas para os meios técnico e acadêmico, com esta pesquisa, são: (a) validar o uso do ácido polifosfórico como melhorador das propriedades reológicas de ligantes asfalto-borracha; (b) obter esclarecimentos sobre os efeitos da concentração de ligante asfáltico, de borracha moída, de resíduo de óleo de xisto e de ácido polifosfórico sobre propriedades reológicas de ligantes asfalto-borracha, virgens e envelhecidos a curto e a longo prazos; (c) sistematizar um procedimento de delineamento de experimento para ligantes asfálticos considerando três modificadores, por meio da técnica estatística de experimentos com misturas; (d) sistematizar um procedimento para a modelagem de propriedades reológicas de ligantes asfálticos, considerando três modificadores; e (e) delimitar faixas admissíveis das proporções de borracha moída, resíduo de óleo de xisto e ácido polifosfórico, de forma a obter composições cujas propriedades físicas atendam requisitos de especificações vigentes para ligantes asfálticos. No atual estágio da pesquisa, os ligantes asfálticos já foram processados e envelhecidos a curto e a longo prazos e também submetidos ao ensaio de estabilidade à estocagem. Os ensaios de caracterização Teológica tão em andamento, assim como a análise dos resultados, que será apresentada no seu formato acabado no relatório final. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FAXINA, ADALBERTO LEANDRO; FURLAN, ANA PAULA; PESSA FABBRI, GLAUCO TULIO. Rheological Behavior of Asphalt Rubber Binders Modified With Shale-Oil Residue and Polyphosphoric Acid. JOURNAL OF TESTING AND EVALUATION, v. 41, n. 5, p. 719-728, SEP 2013. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.