Busca avançada
Ano de início
Entree

Desempenho energético e caracterização dos sistemas de aquecimento de água de piscinas

Processo: 08/06930-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2008 - 30 de setembro de 2010
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Civil - Construção Civil
Pesquisador responsável:Racine Tadeu Araujo Prado
Beneficiário:Racine Tadeu Araujo Prado
Instituição-sede: Escola Politécnica (EP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Sistemas prediais  Conservação de energia elétrica  Sistemas de aquecimento de água  Piscinas 

Resumo

Constata-se atualmente um crescimento bastante acentuado do mercado imobiliário, especialmente na região da Grande São Paulo. De 2006 para cá, observou-se, segundo *EMBRAESP, um aumento de 71% no número de lançamentos imobiliários na região metropolitana de São Paulo e, cada vez mais, os empreendimentos lançados no setor residencial são condomínios de grande porte com duas ou mais torres, os quais costumam contar com amplas e diversificadas áreas de lazer constituídas de churrasqueiras, quadras esportivas, salões de festas e de jogos e piscinas. Estas piscinas variam em suas formas, tamanhos e condições de ambiente, mas estão presentes na quase totalidade dos empreendimentos lançados. Visando o maior aproveitamento destas piscinas ao longo do ano pelos usuários, tornou-se comum, a exemplo do que já acontece há muito tempo em clubes e academias, a utilização de sistemas de aquecimento, de forma a garantir a manutenção de uma temperatura agradável da água. Segundo matéria publicada no jornal O Estado de São Paulo em 27 de abril de 2008, instalou-se em média um sistema de aquecimento de piscina a gás natural por dia, desde 2005. Sistemas de aquecimento de piscina, por energia solar ou bomba de calor, somam mais três unidades diárias instaladas, segundo a mesma matéria. Em linha com a questão da sustentabilidade ambiental e buscando a eficiência energética, este trabalho visa prover aos usuários, proprietários e operadores de piscinas, subsídios para a escolha e a operação destes sistemas de forma criteriosa. A pesquisa envolve, além de revisão bibliográfica sobre o tema, a instrumentação de seis piscinas cobertas, dispersas em cinco academias de natação do município de São Paulo, cobrindo os principais tipos de sistemas de aquecimento utilizados atualmente (sistema de aquecimento indireto a gás natural; sistema de aquecimento direto a GLP; bomba de calor elétrica e sistema de aquecimento por energia solar). Será possível, ao final da pesquisa, compreender a influência das características climáticas e micro-climáticas do ambiente sobre a piscina e, principalmente, sobre o funcionamento do sistema de aquecimento envolvido. A relação entre consumo de energia para cada um dos tipos de sistema e as variáveis climáticas também será produto da pesquisa. Estes dados permitirão aos proprietários/operadores de piscinas de todo o Brasil, decidir qual a melhor maneira de operar o sistema ao longo do ano, de modo a reduzir o consumo energético sem prejuízos ao bem-estar dos usuários e à continuidade do funcionamento da piscina. *EMBRAESP: Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio. (AU)