Busca avançada
Ano de início
Entree

Alterações no metabolismo energético e no desempenho de bezerros em aleitamento convencional recebendo concentrado inicial contendo fontes alternativas de energia em substituição ao milho

Processo: 10/50240-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2010 - 30 de novembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Pesquisador responsável:Carla Maris Machado Bittar
Beneficiário:Carla Maris Machado Bittar
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Metabolismo energético  Aleitamento animal  Bezerros  Trato digestivo de animal  Ácidos graxos  Milho 

Resumo

O objetivo deste projeto é avaliar o efeito da substituição de milho por diferentes fontes de energia, todos os co-produtos da indústria, no concentrado inicial, sobre o desempenho e alterações no metabolismo energético de bezerros em aleitamento. Serão conduzidos 3 experimentos para avaliação da substituição de milho por polpa cítrica, glicerina bruta, melaço ou xarope de milho. No primeiro experimento 24 bezerros receberão ração contendo milho como principal fonte de energia; milho e polpa; ou somente polpa cítrica. No segundo experimento, também com 24 bezerros, serão avaliados concentrados contendo doses crescentes de glicerina em substituição ao milho como fonte de energia (0 5 e 10% na MS). Finalmente, no terceiro experimento, 32 bezerros serão distribuídos nos tratamentos contendo xarope de milho ou doses crescentes de melaço em substituição ao milho: 1) Ração inicial controle a base de milho, contendo 2% de melaço; 2) 5% (na MS) de melaço; 3) 10% (na MS) de melaço; e 4) 5% de xarope de milho. Em todos os experimentos os animais serão manejados de acordo com o manejo tradicionalmente recomendado na literatura, sendo alojados em abrigos individuais, com livre acesso água, recebendo 4L de dieta líquida/d e concentrado ad libium. Amostras de sangue e fluido ruminal (sonda) serão colhidas a partir da 2ª semana de vida para determinação de glicose, lactato, Beta-hidroxibutirato plasmáticos; e N-amoniacal e ácidos graxos de cadeia curta no fluido ruminal, respectivamente. Na 2ª, 4ª e 8ª semana de vida dos animais será realizada biopsia de fígado para determinação da atividade das enzimas piruvato carboxilase e a fosfoenolpiruvato carboxiquinase. Na oitava semana de vida os animais serão abatidos para avaliação do desenvolvimento do trato digestório superior, com avaliação de peso e volume dos compartimentos, assim como medida de tamanho e número de papilas no epitélio ruminal. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Novo complemento alimentar não causa prejuízo a bezerros durante aleitamento