Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento floral em espécies de Leguminosae

Processo: 08/57487-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2009 - 31 de março de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Morfologia Vegetal
Pesquisador responsável:Simone de Pádua Teixeira
Beneficiário:Simone de Pádua Teixeira
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):11/13708-6 - Técnicas de desenvolvimento floral em Leguminosae, BP.TT
10/07803-3 - "técnicas em desenvolvimento floral", BP.TT
09/05976-0 - Técnicas para estudo de desenvolvimento floral, BP.TT
Assunto(s):Ontogenia  Leguminosae 

Resumo

Esta proposta pretende elucidar, do ponto de vista morfológico, a origem e os estádios de formação de órgãos florais considerados enigmáticos em grupos taxonômicos dentro de Leguminosae, uma das famílias de angiospermas mais ricas em espécies. Serão abordados grupos com flores pluricarpeladas (Inga, Swartzia), com cálice bilobado (Dipteryx; Pterodon, Taralea), monoclamídeas (Copaifera), e com estames estéreis (Copaifera), condições estas bastante incomuns na família. Para atender os objetivos as seguintes questões foram formuladas: (1) Como se origina o gineceu pluricarpelar em espécies de Inga e Swartzia? Todos os carpelos são funcionais, ou seja, permitem a passagem do tubo polínico e, conseqüentemente, a fertilização e produção de sementes? (2) Como se origina o cálice bilobado em espécies de Dipteryx, Pterodon e Taralea? (3) A condição monoclamídea em Copaifera langsdorffii se deve à supressão de primórdios de pétalas no início do desenvolvimento ou à ausência destes primórdios? (4) A origem e os estádios de desenvolvimento do estame estéril é semelhante aos dos estames férteis em Copaifera langsdorffii? Em qual estádio do desenvolvimento floral é possível identificar o início de sua esterilidade? A metodologia inclui a coleta de botões florais de vários tamanhos e de flores, de pelo menos dois indivíduos por espécie e sua preparação para exame de superfície, histológico e ultra-estrutural, utilizando-se microscopias de campo claro, de epifluorescência, de interferência por contraste diferencial de fase, e eletrônica de varredura e transmissão. Os dados obtidos serão comparados qualitativamente dentro de um grupo de Leguminosae e poderão subsidiar estudos evolutivos e sistemáticos nesta família. (AU)

Publicações científicas (10)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MARINHO, CRISTINA RIBEIRO; POLETI MARTUCCI, MARIA ELVIRA; GOBBO-NETO, LEONARDO; TEIXEIRA, SIMONE PADUA. Chemical composition and secretion biology of the floral bouquet in legume trees (Fabaceae). Botanical Journal of the Linnean Society, v. 187, n. 1, p. 5-25, MAY 2018. Citações Web of Science: 4.
DE BARROS, THAIS C.; PEDERSOLI, GISELI D.; PAULINO, JULIANA V.; TEIXEIRA, SIMONE P. In the interface of caesalpinioids and mimosoids: Comparative floral development elucidates shared characters in Dimorphandra mollis and Pentaclethra macroloba (Leguminosae)(1). AMERICAN JOURNAL OF BOTANY, v. 104, n. 2, p. 218-232, FEB 2017. Citações Web of Science: 2.
PAULINO, JULIANA V.; MANSANO, VIDAL F.; PRENNER, GERHARD; TEIXEIRA, SIMONE P. High developmental lability in the perianth of Inga (Fabales, Fabaceae): a Neotropical woody rosid with gamopetalous corolla. Botanical Journal of the Linnean Society, v. 183, n. 1, p. 146-161, JAN 1 2017. Citações Web of Science: 2.
DE BARROS, THAIS CURY; PEDERSOLI, GISELI DONIZETE; TEIXEIRA, SIMONE PADUA. Anther glands in Mimosoideae (Leguminosae) are emergences with a conserved meristematic origin. FLORA, v. 226, p. 1-9, JAN 2017. Citações Web of Science: 4.
THAIS CURY DE BARROS; CRISTINA RIBEIRO MARINHO; GISELI DONIZETE PEDERSOLI; JULIANA VILELLA PAULINO; SIMONE PÁDUA TEIXEIRA. Beyond pollination: diversity of secretory structures during flower development in different legume lineages. Acta Botanica Brasilica, v. 31, n. 3, p. 358-373, Set. 2017. Citações Web of Science: 3.
PEDERSOLI, GISELI DONIZETE; TEIXEIRA, SIMONE PADUA. FLORAL DEVELOPMENT OF PARKIA MULTIJUGA AND STRYPHNODENDRON ADSTRINGENS, TWO ANDROMONOECIOUS MIMOSOID TREES (LEGUMINOSAE). INTERNATIONAL JOURNAL OF PLANT SCIENCES, v. 177, n. 1, p. 60-75, JAN 2016. Citações Web of Science: 4.
LEITE, VIVIANE GONCALVES; MANSANO, VIDAL FREITAS; TEIXEIRA, SIMONE PADUA. Floral ontogeny in Dipterygeae (Fabaceae) reveals new insights into one of the earliest branching tribes in papilionoid legumes. Botanical Journal of the Linnean Society, v. 174, n. 4, p. 529-550, APR 2014. Citações Web of Science: 13.
PAULINO, JULIANA VILLELA; PRENNER, GERHARD; MANSANO, VIDAL FREITAS; TEIXEIRA, SIMONE PADUA. COMPARATIVE DEVELOPMENT OF RARE CASES OF A POLYCARPELLATE GYNOECIUM IN AN OTHERWISE MONOCARPELLATE FAMILY, LEGUMINOSAE. AMERICAN JOURNAL OF BOTANY, v. 101, n. 4, p. 572-586, APR 2014. Citações Web of Science: 15.
PAULINO, JULIANA VILLELA; MANSANO, VIDAL DE FREITAS; TEIXEIRA, SIMONE PADUA. Elucidating the unusual floral features of Swartzia dipetala (Fabaceae). Botanical Journal of the Linnean Society, v. 173, n. 2, p. 303-320, OCT 2013. Citações Web of Science: 19.
PEDERSOLI, GISELI D.; PAULINO, JULIANA V.; LEITE, VIVIANE G.; TEIXEIRA, SIMONE P. ELUCIDATING ENIGMATIC FLORAL ISSUES IN COPAIFERA LANGSDORFFII DESF. (LEGUMINOSAE, CAESALPINIOIDEAE). INTERNATIONAL JOURNAL OF PLANT SCIENCES, v. 171, n. 8, p. 834-846, OCT 2010. Citações Web of Science: 8.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.