Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliacao do efeito protetor do carvedilol na toxicidade mitocondrial renal induzida pela cisplatina em ratos.

Processo: 08/50868-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2008 - 30 de abril de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Antonio Cardozo dos Santos
Beneficiário:Antonio Cardozo dos Santos
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Mitocôndrias  Cisplatino  Antioxidantes  Citoproteção  Nefrotoxicidade 

Resumo

Embora a cisplatina (cis-diaminocloroplatina II) seja um efetivo agente anticâncer, seu uso clínico é altamente limitado, predominantemente devido ao seu potencial nefrotóxico. Muitos estudos têm demonstrado que a cisplatina causa disfunção mitocondrial em células epiteliais renais devido à ação de espécies reativas de oxigênio tais como superóxido e radicais hidroxila. A proteção seletiva da mitocôndria contra espécies reativas de oxigênio geradas pela cisplatina nos tecidos intactos tais como os rins, é fundamental na quimioterapia de pacientes com câncer. Nesse sentido, antioxidantes têm sido usados para aumentar a eficácia de agentes terapêuticos anticâncer por ter a capacidade de reduzir seus efeitos adversos nas células normais. Vários estudos têm sugerido que o carvedilol é capaz de alterar parâmetros mitocondriais e proteger contra a toxicidade mitocondrial cardíaca induzida pelo quimioterápico doxorubicina. Assim, considerando-se o dano oxidativo renal induzido pela cisplatina e as propriedades antioxidantes do carvedilol, no presente estudo pretende-se investigar o potencial protetor desse fármaco contra a toxicidade mitocondrial renal, bem como os mecanismos moleculares envolvidos nessa proteção mitocondrial. Um possível efeito protetor do carvedilol, um fármaco de uso seguro e já estabelecido na clínica, contribuiria para o desenvolvimento de novas estratégias de citoproteção, constituindo um potencial candidato para utilização em terapia adjuvante de prevenção de danos nefrotóxicos durante a quimioterapia com a cisplatina. (AU)