Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da produção de corantes a partir de Penicillium purpurogenum

Processo: 10/50324-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2010 - 31 de julho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Engenharia de Alimentos
Pesquisador responsável:Adalberto Pessoa Junior
Beneficiário:Adalberto Pessoa Junior
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Engenharia bioquímica  Biotecnologia  Extração líquido-líquido  Fermentação  Corantes naturais 

Resumo

Há uma tendência mundial do consumo de produtos naturais em substituição aos artificiais disponíveis no mercado. Dessa maneira, existe um grande interesse da produção de colorantes a partir de fontes naturais (vegetais, insetos e microrganismos) devido ao conhecimento de sérios problemas de segurança gerados por muitos colorantes artificiais, que têm sido extensivamente utilizados em alimentos, cosméticos e pela indústria farmacêutica. Os microrganismos, entre as demais fontes naturais, apresentam velocidade de crescimento relativamente alta, condição que proporciona produtividade vantajosa em relação aos demais, além de produzirem uma vasta gama de colorantes de aplicabilidade industrial. Dentro deste contexto, este projeto tem como finalidade verificar as melhores condições de produção de colorantes produzidos por Penicillium purpurogenum DPUA 1275, isolado no Estado do Amazonas e depositado na coleção de culturas do laboratório de micologia da UFAM, e extraí-los em sistemas poliméricos de duas fases aquosas (SPDFA) formados pelo sistema PEG/NaPA. Inicialmente, será avaliada a influência de diferentes fatores físico-químicos, como fontes e concentrações de nitrogênio, carbono, pH, temperatura, agitação em cultivo em frascos utilizando planejamento experimental estatístico e nas melhores condições de fermentação serão realizados cultivos em fermentador. Posteriormente, será estudada a estabilidade dos colorantes a diferentes pHs, temperaturas e polímeros com o intuito de se definir algumas condições a serem utilizadas na etapa de extração por sistemas poliméricos de duas fases aquosas, além de se avaliar a toxidez do corante produzido. (AU)