Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização da clorofilina cúprica de sódio e avaliação de sua absorção, estabilidade e distribuição em estudos com ratos

Processo: 09/52229-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2009 - 31 de outubro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Ursula Maria Lanfer Marquez
Beneficiário:Ursula Maria Lanfer Marquez
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Pigmentos  Clorofila  Biodisponibilidade 

Resumo

A clorofilina cúprica de sódio (Chl-Cu) é um corante alimentar mais estável e mais barato do que a clorofila natural. Quimicamente é constituído de diversas clorinas, em especial a Cu(II)clorina e4 e a Cu(II)clorina e6. Além de corante vem sendo empregado na medicina popular como cicatrizante, desodorizante para pacientes ostomizados, entre outros. Porém, nos últimos 15 anos as pesquisas com este pigmento estão focalizando efeitos biológicos, tais como atividade anti-mutagênica, anti-carcinogênica, antioxidante e radioprotetora. Todavia, até o momento, a maioria destes estudos foi realizada in vitro ou em tecidos isolados e são raros os trabalhos in vivo, de modo que informações sobre a sua biodisponibilidade e ações sistêmicas são praticamente inexistentes. Apenas recentemente foi confirmado que a Cu(II)clorina e4 pode ser absorvida por humanos, tendo sido identificada no plasma, fígado e rins de ratos, após ensaio de intervenção dietética, mas ainda não existem informações sobre a farmacocinética da sua absorção. A Cu(II)clorina e6, não é absorvida o que faz supor que este componente seja menos estável durante a passagem pelo trato gastrointestinal, ou que seja absorvido pelos enterócitos e em seguida degradado, sem atingir a corrente sanguínea. Devido à promessas de benefícios para a saúde divulgadas pelas mídias de comunicação existe uma tendência de ingestão crescente pela população, superior à ingestão a partir do seu uso como corante alimentar, acreditamos ser de interesse estudar em modelo com ratos a absorção, distribuição e metabolização destes componentes da Chl-Cu. Assim, este projeto tem por objetivo e desafio obter informações sobre a cinética de absorção e distribuição das principais clorinas isoladas que compõe a clorofílina cúprica, em estudo com ratos Wistar. Será dada ênfase à velocidade e taxa de absorção da Cu(II)clorina e4, bem como ao destino da Cu(II)clorina e6 que aparentemente não é absorvida pelo organismo animal. Este projeto visa contribuir com a elucidação do real papel que a Chl-Cu pode desempenhar em animais e humanos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)