Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da proteína amilóide sérica A (SAA) sobre a adipogênese e produção de fatores inflamatórios por adipócitos

Processo: 08/04678-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2008 - 30 de novembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Ana Campa
Beneficiário:Ana Campa
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Fisiopatologia  Inflamação  Proteínas  Amiloide  Adipócitos  Adipogenia  Obesidade 

Resumo

Nos últimos anos surgiu o conceito geral de que uma inflamação sutil e crônica acompanha o desenvolvimento excessivo de tecido adiposo. Os elementos que associam a obesidade com a inflamação são: (i) o aumento tênue de fatores inflamatórios no soro de indivíduos obesos, (ii) a expressão de genes inflamatórios pelo adipócito e (iii) a infiltração de macrófagos no tecido adiposo e sua relação com o crescimento do tecido. Estas observações fizeram surgir a hipótese de que o desenvolvimento de um processo inflamatório no tecido adiposo em crescimento é o evento primário na gênese das alterações metabólicas e vasculares e podem ser a condição que associa a obesidade com doenças como a diabetes tipo II e aterosclerose. Há 2 anos iniciamos um projeto cujo objetivo foi o de avaliar o efeito da proteína amilóide sérica A (SAA), uma proteína de fase aguda, sobre adipócitos humanos. As justificativas para este estudo foram que, na mesma época, havia sido mostrado que adipócitos expressavam SAA e que havia uma proporcionalidade entre a concentração sérica de SAA e índice de massa corpórea (IMC), sendo que indivíduos obesos que perdiam peso tinham uma redução na concentração desta proteína no soro. Vimos com bastante interesse estes estudos uma vez que estudávamos o efeito de SAA sobre células do sistema imune. Em macrófagos, neutrófilos e PBMC, a SAA induzia respostas inerentes à ativação celular e inflamação, ou seja, SAA era capaz de induzir a expressão e liberação de uma gama de citocinas, aumentar a produção de espécies reativas de oxigênio (ROS) e espécies reativas de nitrogênio (RNS). Inicialmente tínhamos como objetivo avaliar se SAA também era capaz de induzir ROS e RNS e a síntese de citocinas por adipócitos e também se teria um papel na diferenciação de pré-adipócitos. Resultados de amostras de adipócitos humanos obtidos de tecido subcutâneo retirado de cirurgias plasticas estéticas e mantidos em cultura mostraram que estas respondiam à incubação com SAA aumentando a expressão e/ou liberação das citocinas inflamatórias IL-6, IL-1², TNF-a e da quimiocina IL-8. Há fortes evidências de que a quimiocina MIP-3± e os fatores M-CSF, G-CSF e VEGF também tem sua expressão aumentada e que SAA modifica a captação de glicose por adipócitos. Esses resultados foram gerados no estágio de pós-doc da dra. Katia Aparecida de Almeida no meu laboratório (bolsista FAPESP proc. No 05/58772-2). Analisando os resultados parciais no contexto da síndrome metabólica, tem-se uma forte evidência de que a SAA poderia representar um elemento chave na associação entre inflamação e obesidade. Assim, dado o interesse pelo tema, a Dra. Katia buscou um estágio no exterior (FAPESP proc. No 07/52648-3) no laboratório do Dr.Stephen Farmer, que é um especialista em adipogênese e que dispõe em seu laboratório de uma série de ferramentas como knockdown e super expressão para estudos moleculares. Num estágio de julho a dezembro último a Dra. Kátia estudou o efeito da SAA sobre a adipogênese na linhagem 3T3-L1 (pré-adipócitos murinos) e construiu dois modelos celulares a partir de 3T3-L1; um modelo de super expressão e outro knockdown para SAA. Após o retorno da Dra. Katia, pretendemos:1- Finalizar os experimentos de expressão e liberação de citocinas e fatores de crescimento por adipócitos humanos incubados com SAA e discutir esses resultados numa publicação em associação com o papel chave da SAA na síndrome metabólica;2- Finalizar os experimentos de modificação da captação de glicose por adipócitos estimulados com SAA e estudar o efeito de SAA sobre a captação de lipídeos;3- Concluir os experimentos que mostram que SAA inibe a adipogêneese em 3T3-L1 e mostrar as vias envolvidas neste processo (especialmente PPRA-³, CEBP ± e ²);4- Observar o efeito da super expressão ou não expressão de SAA sobre a proliferação e diferenciação celulares;5- Avaliar se SAA é capaz de ativar a proliferação e a adipogênese de pré-adipócitos humanos. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.