Busca avançada
Ano de início
Entree

Monitoramento de opioides no trans-operatório de cirurgia cardíaca

Resumo

Os opioides sulfentanil e morfina apresentam alta potência analgésica, curta duração de ação e capacidade de promover grande estabilidade hemodinâmica durante a intervenção cirúrgica; esses opioides podem apresentar disposição cinética alterada em decorrência da circulação extracorpórea, procedimento este indicado para as maiorias das cirurgias eletivas de revascularização do miocárdio. Além disso, o monitoramento da capacidade respiratória é crítico nesses pacientes uma vez que são potentes depressores do centro respiratório e podem prolongar o tempo de intubação orotraqueal e de hipnose; nos casos mais graves pode ocorrer parada respiratória. Adicionalmente, a analgesia da morfina controlada pelo paciente no pós-operatório é considerada satisfatória pela administração intravenosa utilizando bomba especifica. Quando os pacientes recebem morfina intratecal no intraoperatório reporta-se qualidade da analgesia pós-operatória superior àquela descrita para os pacientes sem o opioide intratecal. O objetivo do presente estudo é monitorar os dois opioides por LC-MS e PK-PD. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio: