Busca avançada
Ano de início
Entree

Vertebrados permo-triássicos das Bacias do Paraná e Parnaíba: filogenia e correlações estratigráficas

Processo: 09/54645-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2010 - 30 de setembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Pesquisador responsável:Max Cardoso Langer
Beneficiário:Max Cardoso Langer
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Paleontologia  Filogenia  Fósseis vertebrados  Dinossauros  Rincossauro  Bacia hidrográfica  Estratigrafia  Triássico 

Resumo

No limite permo-triássico foi registrado o mais dramático evento de perda de biodiversidade do Fanerozóico, e a investigação de depósitos sedimentares brasileiros pode esclarecer importantes aspectos deste momento da história geológica. Os mais significativos registros paleontológicos do Permo-Triássico brasileiro encontram-se nas bacias do Paraná e do Parnaíba, especialmente no sul de São Paulo e norte do Paraná, na Depressão Central do Rio Grande do Sul, e em uma faixa que se estende do norte de Tocantins à divisa entre os estados do Maranhão e Piauí. Neste Projeto propõe-se prospectar tais áreas em busca de vertebrados fósseis, bem como desenvolver estudos revisionais de cunho anatômico e sistemático de táxons-chave do Permo-Triássico brasileiro e de outras partes do mundo. Os esforços investigativos se concentrarão nas relações filogenéticas e evolução dos tetrápodos continentais, tais como temnospôndilos, dinossauros, rincossauros e rauissúquios, e também nas implicações bioestratigráficas do registro dos mesmos. De forma mais geral, mas mantendo os paleovertebrados como foco das investigações, pretende-se aperfeiçoar as correlações estratigráficas dos depósitos permo-triássicos no âmbito das bacias brasileiras e destas com outras partes da Pangéia, buscar estratos de idade roadiana, na tentativa de preencher o chamado "Hiato de Olson", além de contextualizar o limite permo-triássico e a extinção a ele associada nas bacias do Paraná e Parnaíba. Por fim, pretende-se congregar dados oriundos destes estudos em um Banco de Dados Relacionai, na tentativa de identificar padrões macroevolutivos globais afins às faunas de vertebrados permo-triássicos do Brasil. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Pesquisa acrescenta novas peças ao ‘quebra-cabeça’ da evolução das espécies 
Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio::
Pesquisa desvenda parte do ‘quebra-cabeça’ da evolução das espécies 

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CASTRO, MARIELA C.; MONTEFELTRO, FELIPE C.; LANGER, MAX C. The Quaternary vertebrate fauna of the limestone cave Gruta do Ioio, northeastern Brazil. QUATERNARY INTERNATIONAL, v. 352, p. 164-175, NOV 26 2014. Citações Web of Science: 9.
FRANCA, MARCO AURELIO G.; FERIGOLO, JORGE; LANGER, MAX C. Associated skeletons of a new middle Triassic ``Rauisuchia{''} from Brazil. NATURWISSENSCHAFTEN, v. 98, n. 5, p. 389-395, MAY 2011. Citações Web of Science: 23.
FRANÇA, MARCO AURÉLIO G.; FERIGOLO, JORGE; LANGER, MAX C. Associated skeletons of a new middle Triassic "Rauisuchia" from Brazil. Naturwissenschaften, v. online first, n. 1913, p. 0-0, 2011.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.