Busca avançada
Ano de início
Entree

Vitamina A, ferro e zinco em gestantes infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) e nos seus lactentes

Processo: 09/14044-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2009 - 30 de novembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Marisa Marcia Mussi
Beneficiário:Marisa Marcia Mussi
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Infectologia  Recém-nascido  Gestantes  Ferro  Nutrição da mãe  Vitamina A  Zinco  HIV 

Resumo

A subnutrição é um evento freqüente durante a infecção pelo vírus HIV e está associada à deficiência de micronutrientes. Essa deficiência de micronutrientes pode acelerar a progressão da doença bem como a letalidade. A subnutrição materna está associada ao aumento do risco de doenças e morte em bebês e lactentes. Esses efeitos são variados e dependem de diferentes componentes nutricionais. Nosso grupo de pesquisa conduziu estudos em gestantes infectadas pelo HIV e evidenciou dados indiretos que nos fazem supor que o estado nutricional em micronutrientes em gestantes brasileiras seja deficitário, apesar das recomendações já conhecidas de necessidades de suplementação durante a gestação. Assim é que foi identificada associação entre o Índice de Massa Corporal materno e os indicadores antropométricos dos bebes, corrigindo-se para co-variaveis. Também, foi detectada alta proporção de deficiência retinol, de ß-caroteno e de vitamina E aos 3 anos de idade em crianças nascidas de mães infectadas por esse vírus. Em outro estudo, com alocação casual e controlado, o uso de formulas alimentares concentradas por recém-nascidos e durante os seus primeiros meses de vida impulsionou o crescimento pondero-estatural dessas crianças, quando comparadas àquelas que fizeram uso de formulas alimentares convencionais. São escassos os estudos que explorem diretamente o estado em micronutrientes em gestantes brasileiras infectadas pelo HIV e em seus filhos. O principal objetivo dessa proposta é o de descrever o estado nutricional de gestantes infectadas pelo HIV, de seus bebês e de suas interrelações, considerando-se dados antropométricos e níveis séricos das vitaminas A e E, zinco e ferro. O presente estudo será realizado utilizando-se dados e amostras sanguíneas que estão sendo obtidos em três centros brasileiros por meio do protocolo multicêntrico internacional LILAC (NISDI Longitudinal Study in Latin American Countries), estudo de coorte prospectivo de gestantes e crianças em países da América Latina. Serão descritos os níveis séricos de zinco, de retinol, de alfa-tocoferol e de ferro (avaliado pelos níveis de hemoglobina, volume corpuscular médio da hemácia e de ferritina) em bebês nascidos de mães infectadas pelo HIV, ao nascer, da sexta à décima segunda semana e aos seis meses de vida, verificando-se a sua associação com os níveis séricos de micronutrientes maternos após o parto e avaliando-se se a deficiência é resolvida após 6 meses de alimentação padrão. Na análise dos dados serão consideradas variáveis maternas relativas à infecção pelo HIV e outras condições mórbidas gestacionais que possam influenciar no estado de deficiência desses elementos no recém-nascido. (AU)