Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação das lesões genômicas espontâneas, das respostas celulares aos danos induzidos in vitro em linfócitos do sangue periférico e das respostas moleculares ao tratamento com nutrição parenteral em

Processo: 09/52907-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2009 - 30 de novembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Bioquímica da Nutrição
Pesquisador responsável:Helio Vannucchi
Beneficiário:Helio Vannucchi
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Instabilidade genômica  Nutrição parenteral  Síndrome do intestino curto  Marcador molecular  Dano ao DNA 

Resumo

A síndrome do intestino curto (SIC) é uma patologia de etiologia congênita ou não e caracterizada pela perda significativa da capacidade de digestão e absorção de nutrientes. Diante desse quadro, os pacientes com SIC apresentam desnutrição grave e necessitam, na grande maioria dos casos, de internações periódicas para tratamento com nutrição parenteral (NP). Sabe-se também que a NP melhora significativamente os biomarcadores nutricionais em pacientes submetidos a esse tratamento, mas não é efetiva para melhorar marcadores clínicos de bom prognóstico. Dessa forma, o índice de mortalidade em pacientes com SIC pode chegar a 25% em três anos após o início do tratamento. Além disso, a deficiência nutricional pode gerar instabilidade genômica decorrente do aumento de estresse oxidativo ou ainda da ineficiência dos mecanismos de detecção de danos e reparo do DNA. Não existem, até o presente momento, dados na literatura a respeito das lesões genômicas em pacientes com SIC, bem como das respostas moleculares decorrentes do tratamento com NP nesses mesmos pacientes. Os objetivos deste trabalho são avaliar as lesões genômicas espontâneas, a capacidade de reparo do DNA e as respostas moleculares ao tratamento com NP em pacientes com SIC. Encontrar novos biomarcadores que indiquem as vias moleculares moduladas pela NP pode representar um grande avanço para o desenvolvimento de novas estratégias no tratamento de pacientes com SIC. (AU)