Busca avançada
Ano de início
Entree

Ranibizumab(lucentis)r intravitreo para o tratamento de pacientes portadores de retinopatia diabetica proliferativa com neovascularizacao.

Processo: 08/58444-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2009 - 30 de junho de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Rodrigo Jorge
Beneficiário:Rodrigo Jorge
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Diabetes mellitus  Retina  Retinopatia diabética  Ranibizumabe 

Resumo

A retinopatia diabética proliferativa (RDP) é uma importante causa de perda visual em pacientes diabéticos. Acredita-se que o crescimento de neovasos retinianos ou de disco óptico na RDP seja uma conseqüência do aumento do fator de crescimento endotelial vascular (VEGF) na cavidade vítrea, devido à isquemia retiniana. A fotocoagulação a laser é o tratamento padrão para a neovascularização retiniana, entretanto em alguns casos a regressão total dos neovasos não ocorre após este procedimento, o que chamamos de neovascularização retiniana persistente (NRP). O ranibizumabe é uma droga anti-angiogênica que inibe a ação das diferentes isoformas do VEGF-A, aprovada para o tratamento da degeneração macular relacionada à idade na forma exsudativa, podendo ser útil no tratamento de outras doenças intra-oculares nas quais o VEGF é um fator importante, como RDP e edema macular diabético. O bevacizumabe, droga anti-VEGF a partir da qual foi desenvolvido o ranibizumabe, se mostrou eficaz em induzir regressão de NRP após administração intravítrea. Dessa forma, é proposto o presente trabalho, onde se acredita que a metodologia pode provar o benefício do ranibizumabe em reduzir a NRP e, conseqüentemente, suas complicações. (AU)