Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do tabagismo no ensino médio de Ribeirão Preto (Estabem-RP)

Processo: 09/51506-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2009 - 31 de outubro de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:José Antônio Baddini Martinez
Beneficiário:José Antônio Baddini Martinez
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Hábito de fumar  Adolescentes  Ensino médio  Abandono do hábito de fumar  Inquéritos e questionários  Ribeirão Preto (SP) 

Resumo

O tabagismo é grave problema de saúde pública e mesmo nos dias atuais, com tantas informações sobre seus malefícios, muitos jovens ainda adquirem o vício. A adolescência é o período de maior risco para início e estabelecimento da dependência ao fumo. A identificação dos fatores socioculturais e ambientais que contribuem para os adolescentes experimentarem os cigarros, e aqueles que fazem muitos desses jovens continuarem fumando, é importante para o planejamento adequado de intervenções anti-tabagísticas efetivas. Do mesmo modo, a identificação do papel que o estresse exerce dentro desse contexto, pode contribuir de maneira significativa para a obtenção desse objetivo. Neste estudo será aplicado um questionário composto por 86 questões em 1200 estudantes do ensino médio, matriculados em escolas públicas e particulares da cidade de Ribeirão Preto -SP. Esse instrumento foi derivado do questionário padrão de investigação Global Youth Health Surveillance e modificado para incluir questões que avaliem: o grau de dependência nicotínica do indivíduo; os motivos pelos quais esses indivíduos fumam; o nível de estresse percebido e a classificação econômica familiar. Uma vez terminada a coleta dos dados, comparações serão feitas com os adolescentes classificados em três grupos: (I) indivíduos que nunca provaram cigarros; (II) indivíduos que já provaram cigarros pelo menos uma vez na vida, mas que não se tornaram tabagistas; (III) indivíduos que forem fumantes regulares no momento da entrevista. Além disso, os escores da "Escala Razões Para Fumar - Universidade de São Paulo", dos adolescentes fumantes atuais, serão comparados com os dados já obtidos para uma população de 311 fumantes adultos, com idade variando entre 19 e 65 anos. (AU)