Busca avançada
Ano de início
Entree

Interação biológica de membranas poliméricas bioativas em tíbia de coelhos: análise morfométrica, histológica e imunoistoquímica

Processo: 10/01468-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2010 - 31 de março de 2012
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Cassio Ricardo Auada Ferrigno
Beneficiário:Cassio Ricardo Auada Ferrigno
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Walter Israel Rojas Cabrera
Assunto(s):Ortopedia e traumatologia veterinária  Cicatrização  Fraturas da tíbia  Biopolímeros  Coelhos 

Resumo

O desenvolvimento de material para enxerto, membranas e matrizes tridimensionais, baseados em biomateriais reabsorvíveis e biocompatíveis, bem como sua aplicabilidade clínica e influência no processo de regeneração tecidual, tem demandado estudos voltados na síntese de polímeros sintéticos e naturais dentro do contexto da engenharia tecidual. O mercado nacional possui vários tipos de membranas, as quais podem ser osteoindutoras, osteocondutoras e osteogênicas. Cada um desses subtipos, bem como suas marcas comerciais, apresenta limitações, tais como baixa bioatividade, necessidade de antibioticoterapia, segunda intervenção cirúrgica para retirada da membrana (no caso das não-reabsorvíveis) e pouco tempo clínico de atuação das membranas reabsorvíveis (em torno de 30 a 40 dias). Em função dessas limitações, torna-se necessário o desenvolvimento de novos biomateriais formadores de matriz óssea com características biológicas e mecânicas adequadas, susceptíveis à degradação em substâncias atóxicas, via hidrólise ou enzimática, em tempo compatível com a formação do tecido. Com objetivo de comparar a interação biológica de membranas poliméricas bioativas, serão feitas análises morfométrica, histológica e imunoistoquímica de três tipos de membranas implantadas em tíbias de coelhos. Serão avaliados os grau de reabsorção da membrana; inflamação e reparação (osteogênese e/ou fibrogênese). Esses aspectos serão analisados de forma qualitativa e quantitativa, com testes morfométricos quanto a celularidade, quantidade de fibras colágenas e material osteóide formados. Os dados serão comparados com testes estatísticos não-paramétricos. O projeto pode sustentar o uso do biomaterial em pesquisas com animais de companhia e em humanos. Como o tema envolve a integração de áreas como biologia, medicina, odontologia, engenharia, química e física, o estudo também servirá de subsídio para estudos nestas áreas relacionadas. São freqüentes as situações clínicas onde ocorrem grandes perdas de substância óssea e o uso de biomaterial pode ser alentador nestes desafios cirúrgicos. Osteotomias / ostectomias terapêuticas frequentemente provocam "gaps" que são lentamente preenchidos por tecidos ósseos e o biomaterial pode acelerar este processo de cicatrização. (AU)