Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação eletrorretinográfica em cães diabéticos pré e pós-operatória submetidos à facoemulsificação

Processo: 09/07349-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2009 - 31 de dezembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Angélica de Mendonça Vaz Safatle
Beneficiário:Angélica de Mendonça Vaz Safatle
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):10/15694-0 - Avaliação eletrorretinográfica em cães diabéticos pré e pós-operatória submetidos à facoemulsificação, BP.TT
Assunto(s):Cães  Retinopatia diabética  Catarata  Facoemulsificação 

Resumo

Diabete melito (DM) é uma doença complexa, multifatorial, caracterizada pela ausência absoluta ou relativa de insulina diagnosticada em várias espécies, inclusive nos cães e gatos. O DM pode provocar várias oftalmopatias, sendo as mais freqüentes, retinopatia diabética e catarata. Catarata é muito freqüente no cão diabético, resultando em cegueira, diferentemente do homem, onde a principal causa de cegueira é a retinopatia diabética. Como a catarata é a oftalmopatia mais freqüente no cão diabético, podendo ser um dos primeiros sinais da doença, o exame oftalmoscópico torna-se inviável para avaliar alterações retinianas secundárias a DM sendo necessário utilizar-se de outros meios de diagnóstico como o Eletrorretinograma de Campo Total (ERG) que é objetivo, não invasivo, capaz de avaliar a função retiniana, detectando precocemente, lesões nas suas camadas mais externas, precedendo alterações na fundoscopia. Com intuito de restabelecer a visão nos pacientes diabéticos portadores de catarata realiza-se a facoemulsificação obtendo-se bons resultados. Estudos em humanos sugerem que esta cirurgia pode acelerar a retinopatia diabética, interferindo na visão. Objetiva-se avaliar a progressão da retinopatia diabética em cães portadores de catarata submetidos a facoemulsificação pelo Eletrorretinograma de Campo Total. Serão utilizados 20 cães com catarata madura ou hipermadura (10 diabéticos e 10 não diabéticos), machos e fêmeas, que serão submetidos ao ERG de campo total antes da realização da facoemulsificação e 180 dias após a cirurgia, seguindo o protocolo padrão da ISCEV (International Society for Clinical Electrophysiology of Vision) composto por 5 respostas: resposta de bastonetes, máxima resposta, potenciais oscilatório, resposta fotópica de cones, flicker a 30 Hz. A amplitude pico a pico (pico da onda a até o pico da ondab) será medida do pico negativo da ondaa té o pico positivo da onda b em microvolts (¼V). O tempo de culminação da onda-b será medido a partir do início do estímulo até o pico da respectiva onda em milisegundos (ms). Os resultados pré e pós-operatório e entre os animais diabéticos e não diabéticos serão comparados respectivamente por meio do teste t-student pareado e não pareado. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.