Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do efeito antiinflamatório do hormônio estimulador de melanócito (alfa ±MS)H no lúpus eritematoso sistêmico: estudo experimental e em humanos

Processo: 09/54549-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2010 - 28 de fevereiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Suzana Beatriz Verissimo de Mello
Beneficiário:Suzana Beatriz Verissimo de Mello
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neuroimunomodulação  Nefrite  Lúpus eritematoso sistêmico  Neuropeptídeos 

Resumo

O neuropeptídeo hormônio estimulador de melanócito alfa (a-MSH) está envolvido em funções circadianas e imunológicas. Estudos in vitro têm mostrado o a-MSH com ação sobre IkB, NF-kB e p38 MAPK, diminuindo os níveis de mediadores pró-inflamatórios (IL-1b, IL-6, IL-12, TNF-a, IFN-g, PGE2 e NO) e ao mesmo tempo, aumentando citocinas antiinflamatórias como IL-10. Adicionalmente, o a-MSH atua em nível celular minimizando o potencial de apresentação de antígenos por célula apresentadora de antígeno, aumentando o número de linfócitos T reguladores. Em estudos experimentais o a-MSH apresentou atividade antiinflamatória, entretanto não há relatos dos efeitos do a-MSH em Lúpus eritematoso sistêmico (LES). O presente estudo tem como objetivo avaliar o papel do a-MSH no LES em um modelo experimental e em humanos. O efeito antiinflamatório, tolerinérgico e protetor renal do a-MSH será avaliado em modelo de LES induzido por pristane em animais Balb/cAn. Será avaliado o efeito do tratamento sobre a produção de anticorpos específicos da doença (anti proteína p ribossômica, anti-RNP/SM, Anti-dsDNA), sobre o desenvolvimento de nefrite (proteinuria, imunohistoquímica para C3, histomorfometria) e sobre os níveis séricos de citocinas (IL1, IL1-Ra, IL6, IL10, IL12p70, IL17, TNF-a e IFN-g). Os pacientes com LES, em atividade cutânea, serão avaliados antes e após o controle da doença com tratamento com prednisona (0,5 mg/kg, 2 meses). A pele dos pacientes será biopsiada no início do tratamento (em área foto e não foto exposta), e serão submetidas à análise por imunohistoquímica para avaliação da expressão de CRH, ACTH e a-MSH. Níveis séricos de a-MSH, e das citocinas IL1, IL1-Ra, IL6, IL10, IL12p70, IL17, TNF-a e IFN-g serão determinados antes e após o tratamento. Em conjunto os dois protocolos permitirão avaliar a participação do a-MSH no controle da atividade do LES bem como sua importância na fisiopatologia da doença. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SCHMITZ, M. K.; BOTTE, D. A.; SOTTO, M. N.; BORBA, E. F.; BONFA, E.; DE MELLO, S. B. V. Increased corticotropin-releasing hormone (CRH) expression in cutaneous lupus lesions. Lupus, v. 24, n. 8, p. 854-861, JUL 2015. Citações Web of Science: 3.
BOTTE, D. A. C.; NORONHA, I. L.; MALHEIROS, D. M. A. C.; PEIXOTO, T. V.; DE MELLO, S. B. V. Alpha-melanocyte stimulating hormone ameliorates disease activity in an induced murine lupus-like model. CLINICAL AND EXPERIMENTAL IMMUNOLOGY, v. 177, n. 2, p. 381-390, AUG 2014. Citações Web of Science: 10.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.