Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da fluorescência clínica no diagnóstico de lesões potencialmente malignas da cavidade oral

Processo: 09/11521-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2009 - 31 de março de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Norberto Nobuo Sugaya
Beneficiário:Norberto Nobuo Sugaya
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Estomatologia  Neoplasias bucais  Detecção precoce de câncer  Espectrometria de fluorescência  Mucosa bucal 

Resumo

A detecção precoce de neoplasias bucais ou lesões potencialmente malignas tem sido objeto de estudos em todo meio científico. Estratégias como o auto - exame, avaliação clínica profissional periódica e recursos auxiliares de diagnóstico como o uso da tintura de azul de toluidina visam detectar lesões precocemente. No entanto, novos estudos estão sendo realizados na tentativa de diagnosticar alterações antes mesmo da presença de lesões visíveis a olho nu. Uma dessas técnicas e a análise clínica da fluorescência dos tecidos. O VELscope® (Visually Enhanced Lesion Scope) é um novo dispositivo disponível para visualização da mucosa oral auxiliando na detecção de alterações displásicas devido a fluorescência dos tecidos quando expostos a determinados comprimentos de onda luminosa. O objetivo deste estudo é a avaliação da efetividade clínica da espectroscopia de fluorescência induzida, com o aparelho VELscope® como método diagnóstico de lesões potencialmente malignas, comparando - o com a avaliação clínica, azul de toluidina, citologia esfoliativa e biópsia incisional para confirmação histológica. Para a realização deste estudo, serão selecionados 150 pacientes das clínicas de Estomatologia da FOUSP e do Serviço de Estomatologia e Cirurgia Bucomaxilofacial do Hospital Heliópolis. Estes serão divididos em três grupos (50 cada), de acordo com as características: Grupo 1 (LPM) - Pacientes que apresentem alguma lesão potencialmente maligna (leucoplasias e eritroplasias); Grupo 2 (FR) - Pacientes sem lesões clínicas mais expostos aos fatores de risco (álcool e tabaco); Grupo 3 (C) - Pacientes controle, não apresentam hábitos tabagistas, etilistas, e sem lesão visível clinicamente. As mucosas orais dos pacientes serão analisadas sob visualização normal e sob fluorescência, serão utilizados os seguintes exames complementares se indicados, azul de toluidina, citologia esfoliativa e biópsia incisional para confirmação do diagnóstico histológico. As imagens obtidas serão analisadas pelo programa de análise de imagem Imagelab 2000®. O diagnóstico precoce é de extrema importância não apenas para o paciente, mais para os familiares e a sociedade. O tratamento passa a ser menos agressivo, reduzindo também as seqüelas pós-terapia. Em vista disso, torna-se evidente a importância do desenvolvimento de novas técnicas de diagnóstico para a detecção precoce de lesões neoplásicas. (AU)