Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão gênica de isolados clínicos de Streptococcus mutans durante a invasão às células endoteliais

Processo: 09/05322-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2009 - 29 de fevereiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
Pesquisador responsável:Maria Regina Lorenzetti Simionato
Beneficiário:Maria Regina Lorenzetti Simionato
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):10/18082-5 - Expressão gênica de isolados clínicos de Streptococcus mutans durante a invasão às células endoteliais, BP.TT
10/05878-6 - Expressão gênica de isolados clínicos de Streptococcus mutans durante a invasão às células endoteliais, BP.TT
Assunto(s):Microbiologia oral  Invasão  Streptococcus mutans  Expressão gênica 

Resumo

A colonização dos dentes por bactérias orais resulta na formação da placa dental, biofilme formado por múltiplas espécies, normalmente em equilíbrio com o hospedeiro. Entretanto, modificações ambientais podem mudar a composição e atividades metabólicas dos biofilmes orais, permitindo um aumento nas proporções de espécies que podem levar ao desenvolvimento de doenças como cárie e doenças periodontais. Streptococcus mutans é considerado o agente etiológico primário da cárie dental e possui vários atributos de virulência que permitem sua sobrevivência e, portanto, sua seleção em situações de stress como dramáticas mudanças de pH, osmolaridade, fontes e disponibilidade de nutrientes. Assim, a capacidade de aderir e formar biofilmes em superfícies duras, metabolizar uma ampla variedade de carboidratos e sobreviver em ambientes de baixo pH constituem fatores chave de virulência já bastante estudados desta bactéria ao esmalte. Além disso, S. mutans pode ganhar acesso à corrente circulatória, causando bacteremia transiente seguida pela adesão a células endoteliais. Vários fatores podem promover esta propriedade menos estudada de S. mutans. Assim, a presença da proteína P1, também conhecida como antígeno I/II ou SpaP, o polissacarídeo ramnose-glicose sorotipo-específico (RGP) e a produção de glucanos têm sido sugeridos como importantes no desencadeamento de doenças cárdio-vasculares por promoverem a aderência aos tecidos endoteliais, desencadeando a resposta inflamatória. Muitas patógenos periodontais têm sido associados com a presença de placas arterioescleróticas/ ateromatosas, mas recentemente, Nakano e colaboradores (Nakano et al., 2006) relataram que S. mutans foi a espécie bacteriana mais prevalente nos tecidos lesados de valva cardíaca e em placas ateromatosas. No entanto, demonstraram que os isolados orais diferiam dos encontrados na valva cardíaca, pois os últimos não possuem GTFs intactas, mostram taxa de adesão sacarose-dependentes mais baixas e menor suscetibilidade à eritromicina e kanamicina, caracterizando o novo sorotipo k. Assim, S. mutans pode apresentar outras relevantes características além da cariogênica, desenvolvendo possivelmente importante papel nas doenças infecciosas cardíacas. Para tanto, fatores de virulência como adesão e invasão de células endoteliais por diferentes sorotipos de amostras bucais de S. mutans devem ser pouco a pouco melhor determinados, demonstrando suas relações com doenças sistêmicas. (AU)