Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso de microscopia eletroquímica na investigação de sistemas de interesse químico e biológico

Processo: 07/06725-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2008 - 31 de julho de 2010
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Mauro Bertotti
Beneficiário:Mauro Bertotti
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Microeletrodos  Sensores eletroquímicos  Eletroanalítica  Eletrodos quimicamente modificados 

Resumo

A operação típica de um microscópio eletroquímico envolve o deslocamento controlado a velocidade constante de um microeletrodo imerso em eletrólito suporte sobre uma superfície que pode ser polarizada ou não, dependendo do tipo de substrato (isolante ou condutor) e da natureza do experimento. A corrente monitorada no microeletrodo é resultante de processos faradaicos que ocorrem com espécies eletroativas deliberadamente adicionadas à solução ou provenientes do substrato, assim como da distância entre o sensor e a superfície do substrato. A operação do microscópio eletroquímico envolve a investigação localizada das propriedades químicas e topográficas de interfaces e a possibilidade de avaliação da reatividade de superfícies distingue esta técnica de outras técnicas microscópicas. Devido à versatilidade e amplitude de operação do microscópio eletroquímico, são várias as áreas de utilização do instrumento ao longo do desenvolvimento do projeto. Particular atenção será endereçada a propostas de trabalho que derivam de interações já existentes entre nosso grupo de pesquisa e docentes do IQUSP e à possibilidade de aplicação do instrumento para a investigação de processos eletródicos (mecanismos de atuação de eletrodos modificados). Neste sentido, cabe ressaltar que uma etapa importante para o pleno desenvolvimento do plano de trabalho relaciona-se à fabricação de dispositivos de dimensões estruturalmente microscópicas, os quais servirão de sensores para o monitoramento específico das espécies químicas a serem investigadas. O instrumento será empregado em várias áreas de pesquisa de nosso interesse como estudos em sistemas micelares, transporte em membranas e monitoramento de espécies químicas em ambientes celulares, dinâmica de processos eletródicos em filmes, desenvolvimento de metodologias analíticas e avaliação da liberação de compostos químicos em dentes. (AU)