Busca avançada
Ano de início
Entree

Agenda de política externa contemporânea dos Estados Unidos em relação aos países latino-americanos de desenvolvimento intermediário: alinhamentos e coalizões em torno da agenda hemisférica contemporânea

Processo: 07/07581-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2008 - 31 de outubro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Ciência Política - Política Internacional
Pesquisador responsável:Rafael Antonio Duarte Villa
Beneficiário:Rafael Antonio Duarte Villa
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pesquisa (PRO-PESQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Relações internacionais  Política externa  Estados Unidos  América Latina 

Resumo

A partir de uma perspectiva que une análise de política externa comparada e teoria das relações internacionais, esta pesquisa se propõe a compreender como o fator sistêmico - que definimos de nova agenda hemisférica de três pontos dos Estados Unidos (EUA) no pós-Guerra Fria (democracia, comércio e segurança) - e os fatores domésticos (liderança, agências de política externa, grupos sociais relevantes e legislativo) nos EUA e de países de desenvolvimento intermediário na América Latina (Brasil, Argentina, México, Chile, Venezuela e Colômbia) se inter-relacionaram para influenciar mudanças na política externa dos EUA para a região latino-americana em face de: 1) as percepções das unidades de decisão da política externa norte-americana; 2) as estratégias de re-inserção internacional do modelo de desenvolvimento latino-americano; e 3) o impacto dos fatores, sistêmicos e domésticos, nas mudanças de coalizões e realinhamentos diplomáticos percebidos como estratégicos pelas unidades de decisão norte-americanas. De início, deixa-se estabelecido que esta pesquisa não assume, do ponto de vista analítico, primeiramente, a escolha excludente de nível doméstico ou nível internacional (sistêmico). Trata-se de explorar uma perspectiva que frise o impacto conjugado dos fatores domésticos e internacionais no processo decisório da política externa dos EUA para países intermediários latino-americanos. Em segundo lugar, a pesquisa centra suas preocupações no estudo das mudanças operadas na política externa dos EUA para os países intermediários latino-americanos, e não nas continuidades daquela. (AU)