Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da desinfecção química e do tempo de armazenagem sobre as propriedades físicas das próteses oculares

Resumo

As próteses oculares são responsáveis pela recuperação da estética e auto-estima do usuário. Os olhos artificiais, confeccionados em resina acrílica, devem ser estéticos, perfeitamente polidos e resistentes a fraturas. Essas características, quando não satisfeitas, podem gerar transtornos psicológicos, infecções ou inflamações originárias das irregularidades superficiais da prótese e deposição de microorganismos. Para obter a manutenção da saúde dos tecidos adjacentes à prótese e, eliminação dos microorganismos, a desinfecção faz-se necessária, podendo, no entanto, alterar as propriedades físicas destas próteses. Dessa forma, este estudo tem como propósito verificar a microdureza superficial, a rugosidade e a alteração cromática de próteses oculares sobre a influência da desinfecção química e da armazenagem. Serão confeccionados 50 corpos-de-prova simulando próteses oculares contendo duas resinas acrílicas (N.1 e incolor), distribuídos em cinco grupos de acordo com o tipo de desinfecção: sabão neutro (controle), clorexidina a 4%, hipoclorito a 1%, pastilhas efervecentes e solução para lente de contato. Os corpos-de-prova serão armazenados por 120 dias, sendo desinfetados durante este período. As propriedades de microdureza superficial, rugosidade e a alteração cromática serão avaliadas em um período inicial e, após 60 e 120 dias de armazenagem e desinfecção. A microdureza será mensurada por meio de um microdurômetro, e a rugosidade será determinada por um perfilômetro A estabilidade de cor será avaliada por meio da espectrofotometria de reflexão. Os dados obtidos serão submetidos à análise de variância (ANOVA), e teste de Tukey (p<0,05). (AU)