Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da relação entre polimorfismos nos genes Slc11a1 e DLA II e susceptibilidade de cães à leishmaniose visceral

Processo: 09/01934-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2009 - 31 de outubro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Caris Maroni Nunes
Beneficiário:Caris Maroni Nunes
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Parasitologia veterinária  Leishmaniose visceral  Polimorfismo genético  Cães 

Resumo

A importância da leishmaniose visceral no contexto da Saúde Publica tem aumentado na ultima década devido a sua urbanização e expansão geográfica. No ambiente peridoméstico o cão é considerado um importante hospedeiro e fonte de infecção para os vetores, sendo um dos alvos nas estratégias de controle. A manifestação da leishmaniose visceral nos cães é variável e estudos sobre a genética e a sua relação com a leishmaniose visceral têm indicado alguns genes candidatos como envolvidos na suscetibilidade e resistência a esta doença. O gene Slc11a1, que codifica uma proteína envolvida no controle da replicação intrafagossomal de parasitas e na ativação de macrófagos e o gene DLA de classe II que codifica glicoproteínas heterodiméricas envolvidas no controle genético da resposta imune têm sido estudados. Objetiva-se avaliar a relação entre polimorfismos nas regiões promotora e microssatélite do intron 1 do gene Slc11a1 e no exon 2 do gene DLA classe II, com a susceptibilidade e resistência à leishmaniose visceral em cães de área endêmica. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.