Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento biológico de Hepatozoon canis (Apicomplexa: Hepatozoidae) em Amblyomma cajennense e Amblyomma ovale (Acari: Ixodides) experimentalmente infectados

Processo: 09/16131-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2009 - 30 de novembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Lucia Helena O'Dwyer de Oliveira
Beneficiário:Lucia Helena O'Dwyer de Oliveira
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Doenças parasitárias em animais  Carrapatos  Amblyomma cajennense  Amblyomma ovale  Cães 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Amblyomma cajennense | Amblyomma ovale | cão infectado | Hepatozoon canis | infecção experimental | oocistos | Hemoparasitos

Resumo

Infecções experimentais utilizando carrapatos Amblyomma cajennense e Amblyomma ovale serão realizadas a partir de cão naturalmente infectado por Hepatozoon canis. As colônias de carrapatos serão mantidas em coelhos. Para A. cajennense, ninfas serão alimentadas em cão naturalmente positivo, ou serão infectadas por injeção percutânea de sangue com H. canis. Amostras de ninfas alimentadas serão coletadas a cada dia para observação dos estágios de desenvolvimento de H. canis. Os carrapatos serão dissecados e "imprints" do intestino serão realizados e visualizados em microscópio óptico. Esfregaços de hemolinfa das ninfas injetadas percutaneamente serão realizados após 30 minutos e 1, 2, 12, 24 e 48 horas após a injeção. Os esfregaços serão corados e examinados para observação das formas evolutivas do protozoário. Ninfas infectadas por alimentação natural ou por injeção percutânea de sangue serão mantidas sob condições controladas de temperatura e umidade para efetuarem muda para o estágio adulto. Os adultos resultantes serão dissecados e "imprints" do intestino serão realizados para visualização de oocistos na hemocele. No caso de A. ovale, adultos serão alimentados em cão infectado e serão dissecados, a partir da fixação, de 48 em 48 horas até o desprendimento e até dois dias após o mesmo. O propósito do presente estudo será infectar experimentalmente carrapatos A. cajennense e A. ovale com H. canis e identificar as formas de desenvolvimento do protozoário nestas espécies de carrapato, demonstrando que este gênero pode estar envolvido na transmissão deste protozoário a cães de áreas rurais do Brasil. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DEMONER, LARISSA DE CASTRO; RUBINI, ADRIANO STEFANI; PADUAN, KARINA DOS SANTOS; METZGER, BETINA; DE PAULA ANTUNES, JOAO MARCELO AZEVEDO; MARTINS, THIAGO FENANDES; CAMARGO MATHIAS, MARIA IZABEL; O'DWYER, LUCIA HELENA. Investigation of tick vectors of Hepatozoon canis in Brazil. TICKS AND TICK-BORNE DISEASES, v. 4, n. 6, p. 542-546, . (09/16131-1, 09/03166-1)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.