Busca avançada
Ano de início
Entree

Adaptações morfofuncionais e respostas moleculares do músculo esquelético de ratos submetidos ao treinamento aeróbio

Processo: 09/53004-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2010 - 31 de janeiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Maeli Dal Pai
Beneficiário:Maeli Dal Pai
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Treinamento físico  Sistema musculoesquelético  Expressão gênica  Expressão de proteínas  Miosinas  Miostatina  Fator de crescimento insulin-like I 

Resumo

Pesquisas recentes buscam elucidar os principais mecanismos moleculares envolvidos nas adaptações do músculo esquelético ao exercício físico. Neste contexto, o Fator de crescimento semelhante insulina-I, Insulin Growth factor-I (IGF-I), a Calcineurina (CaN) e a miostatina (MSTN) tem sido apontados como importantes mediadores moleculares das adaptações musculares ao treinamento resistido crônico. No entanto, a expressão diferencial destas proteínas em diferentes músculos durante o treinamento aeróbio, permanece não esclarecida. O objetivo deste trabalho será avaliar as adaptações morfofuncionais e a expressão gênica do IGF-I, da CaN e da MSTN em músculo glicolítico (plantar) e oxidativo (soleo) de ratos submetidos ao treinamento aeróbio de longo prazo. Para tanto, serão utilizados 6 ratos Wistar machos (4 meses, 300 a 400 g), divididos em 2 grupos: Animais treinados (T, n=8) e animais controles (C, n=8). O grupo T será submetido a um programa de treinamento aeróbio de natação durante 8 semanas (5 dias/semana). O volume e intensidade de treinamento serão progressivos, sendo equivalente a 10 min, sem sobrecarga (P sem); 20 min, 1% (2ª sem); 25, 30, 35 e 40 min, 3% (do início final da 3ª sem); 45, 50, 55 e 60 min, 5% (do início ao final da 4ª sem) e 60 min, 5% (5ª a 8ª sem). Ao término do treinamento os animais serão sacrificados e os músculos plantar e sóleo dissecados e removidos. Para a análise morfológica e morfométrica das fibras musculares será realizada a coloração HE e a reação da ATPase miofibrilar. As isoformas de cadeia pesada da miosina (MHC) serão analisadas por eletroforese em gel de poliacrilamida (SDS-PAGE), e a expressão gênica e protéica do IGF-I, da CaN da MSTN por PCR em Tempo Real após Transcrição Reversa (qRT-PCR) e Western Blot, respectivamente. Também será feita a avaliação bioquímica das enzimas lactato desidrogenase (LDH) e citrato sintase (CS) do tecido muscular. O soro sanguíneo será coletado para mensuração dos níveis séricos do IGF-I, por meio do método de Radioimunoensaio. Os dados obtidos serão submetidos à análise estatística apropriada. (AU)