Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo genético populacional por SNPs e mapeamento de QTLs ligados à resistência por inseticidas no mosquito Aedes aegypti

Processo: 08/03457-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2008 - 31 de janeiro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
Pesquisador responsável:Paulo Eduardo Martins Ribolla
Beneficiário:Paulo Eduardo Martins Ribolla
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Vigilância entomológica  Vetores de doenças  Dengue  Vírus da dengue  Aedes aegypti  Genética populacional  Resistência a inseticidas  Mapeamento genético  Polimorfismo de um único nucleotídeo 

Resumo

O mosquito Aedes aegypti é o principal vetor dos vírus da dengue e está amplamente distribuído através dos trópicos. É uma espécie estreitamente associada à população humana e representa cada vez mais um problema de saúde pública. Até os dias atuais ainda não estão disponíveis um tratamento específico e uma vacina eficiente contra a dengue, desta forma a única medida disponível depende do controle do vetor, o Ae. aegypti. A presença deste culicídeo no Estado de São Paulo foi detectada em 1985, em municípios da região oeste. Na tentativa de impedir a sua expansão geográfica foram executadas medidas de controle mecânico e químico inicialmente pela Superintendência de Controle de Endemias - Sucen e, a partir de 1988, por Prefeituras Municipais. Vários inseticidas foram empregados nessa atividade, entre eles o propoxur (1986 a 1989), o malathion (1985 a 1992 e de 2001 até o momento) e a cipermetrina (1989 a 2001), pertencentes, respectivamente, à categoria química dos carbamatos, organofosforados e piretróides. Entretanto, processos de resistência têm sido detectados para todas as classes de inseticidas, afetando, profundamente, a re-emergência das doenças transmitidas por vetores. Populações de insetos resistentes surgem devido à seleção exercida pelo uso contínuo de inseticidas, em que a eliminação de insetos suscetíveis favorece o aumento da freqüência de genes resistentes. Assim, o desenvolvimento de ferramentas moleculares que possibilitem o entendimento das relações entre o vetor, patógeno e o homem tem se mostrado cada vez mais necessário. Estratégias para se conhecer melhor o Ae. aegypti em seu habitat têm se baseado em estudos sobre a diferenciação genética espacial destas populações, entretanto, apesar do grande número de estudos, pouco se conhece sobre as mudanças genéticas nas populações locais do mosquito relacionadas aos casos de dengue. O desenvolvimento e aprimoramento das técnicas de marcadores moleculares baseados em PCR têm possibilitado estudos de genética quantitativa nos quais vários marcadores são geralmente envolvidos. Mapeamentos genéticos com caracterização por QTL (Quantitative Trait Loci), locos controladores de características quantitativas, aliados a estudos de genes candidatos com função biológica conhecida têm sido aplicados aos estudos com mosquitos vetores nos últimos anos, na busca por polimorfismos entre populações divergentes. Recentemente, a tecnologia disponível, permitiu o desenvolvimento dos marcadores SNPs (Single Nucleotide Polymorphism) que correspondem a diferenças de um único nucleotídeo na sequência de DNA, e podem ser aplicados aos estudos com QTL. Desta forma, o presente tem como objetivos: a caracterização de loci ligados a resistência utilizando o mapeamento por QTL, a seleção de SNPs ligados a resistência e a caracterização de diferentes populações naturais de Ae. aegypti com marcadores SNPs. Para tanto realizaremos o sequenciamento de genes nucleares candidatos para a detecção de SNPs utilizados na localização física de loci ligados à resistência por inseticidas químicos em populações de Ae. aegypti. Os SNPs selecionados serão também utilizados para realização de estudos populacionais que auxiliarão na diferenciação entre os processos de resistência e reinvasão de populações naturais do mosquito em pequenas distâncias geográficas. (AU)