Busca avançada
Ano de início
Entree

A cartografia geomorfológica em área litorâneas: uma discussão de possibilidades e restrições

Processo: 08/10965-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2009 - 28 de fevereiro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geografia Física
Pesquisador responsável:Cenira Maria Lupinacci
Beneficiário:Cenira Maria Lupinacci
Instituição-sede: Instituto de Geociências e Ciências Exatas (IGCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Geomorfologia  Mapeamento geográfico  Litoral  Relevo  Planícies  Serra do Mar (SP) 

Resumo

A região litorânea do estado de São Paulo se caracteriza por intensa atividade turística que gera um alto grau de alteração causada pelas atividades antrópicas. Neste contexto, é de suma importância analisar a qualidade ambiental deste setor do estado. Para tal análise, os aspectos geomorfológicos são essenciais por constituírem o substrato físico sobre o qual tais atividades atuam. Assim, a cartografia das feições geomorfológicas litorâneas é imprescindível, contudo os procedimentos técnicos para a elaboração de tais documentos cartográficos merecem ainda estudos que sistematizem e avaliem as sugestões existentes nas orientações bibliográficas. Dessa forma, o objetivo principal desta pesquisa consiste em analisar os procedimentos técnicos propostos por diversos autores para a cartografia das feições geomorfológicas das áreas litorâneas e, a partir desta análise, apontar aqueles mais convenientes de acordo com a escala e com as feições existentes na área da pesquisa. A área a ser pesquisada engloba o setor sul do litoral paulista, na escala a 1:250.000, e setores do município de Mongaguá em escala de maior detalhe. Os resultados serão analisados considerando-se os princípios da Teoria Geral dos Sistemas. Os dados morfográficos obtidos serão apresentados em três mapas diferentes utilizando-se, para cada um destes, as simbologias propostas por cada autor, a saber, Argento (1995), Nunes et al (1994) e Tricart (1965). Assim, estes mapas serão comparados e apontar-se-á as concepções e simbologias consideradas mais apropriadas para o mapeamento do litoral sul paulista. Já a representação cartográfica dos setores do município de Mongaguá possibilitarão discutir a questão da escala e da eficácia gráfica da simbologia em cenários complexos do litoral paulista. (AU)