Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de equipamento para recuperação eletroquímica de ouro a partir de efluentes aquosos da indústria de semijóias

Processo: 02/02197-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de outubro de 2002 - 30 de setembro de 2005
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Tratamentos de Águas de Abastecimento e Residuárias
Pesquisador responsável:Luiz Carlos Ferracin
Beneficiário:Luiz Carlos Ferracin
Empresa:Realen Folheados Indústria Comércio e Exportação Ltda (REALEN)
Município: Limeira
Bolsa(s) vinculada(s):04/00397-9 - Desenvolvimento de equipamento para a recuperação eletroquímica de ouro a partir de efluentes aquosos da indústria de semijóias, BP.TT
02/09387-0 - Desenvolvimento de equipamento para recuperação eletroquímica de ouro a partir de efluentes aquosos da indústria de semijoias, BP.PIPE
Assunto(s):Tratamento de águas residuárias  Efluentes industriais  Técnicas eletroquímicas 

Resumo

Na cidade de Limeira, Estado de São Paulo, concentra-se um pólo nacional de produção de bijuterias (semijóias), onde cerca de 400 empresas de pequeno porte geram e lançam, diariamente, efluentes industriais com elevada carga de metais no rio Piracicaba. De maneira geral, no processo produtivo de semijóias formam-se efluentes contendo metais pesados (cobre, níquel, zinco, cádmio e outros) e ouro a partir dos banhos de desengraxe e de deposição metálica das sucessivas etapas e das águas de lavagem das peças entre uma etapa e outra. O efluente com as impurezas metálicas é tratado convencionalmente pela precipitação química, um processo desvantajoso e não apropriado. Neste trabalho pretende-se desenvolver e otimizar um reator eletroquímico destinado a recuperar ouro de efluentes gerados na indústria de semijóias, substituindo o atual processo químico. Para isso pretende-se colocar o metal com alta velocidade de deposição em uma região de potencial/corrente, na qual a reação de redução seja controlada por transporte de massa, visando obter uma camada de ouro espessa e com baixa aderência à superfície do catodo. A baixa aderência da camada de ouro depositado facilitará a posterior remoção mecânica, o que a tornará destacável da superfície do eletrodo. Com esse intuito, pretende-se avaliar os diversos materiais como catodo nesse tipo de processo: aço inoxidável, cobre e latão, entre outros. (AU)