Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de dispositivo de medida de resistividade elétrica para investigacão geotécnica e geoambiental do subsolo

Resumo

O piezocone de resistividade (RCPTU) vem sendo cada vez mais utilizado como uma importante ferramenta na investigação geotécnica e geo-ambiental para a avaliação da contaminação. O ensaio de piezocone, consiste em introduzir uma ponteira no solo a uma velocidade constante igual a 2cm/seg (aproximadamente 1m/min ). O RCPTU contém um módulo de resistividade que é instalado atrás de um piezocone padrão. Esse recurso permite medir continuamente a resistência a um fluxo de corrente elétrica aplicada ao solo. Esse fluxo de corrente elétrica, que pode ser mensurado como condutividade, ou seu inverso, resistividade, quando medido no solo, numa campanha de ensaios, torna possível a detecção de uma provável presença de certas substâncias por meio da comparação com valores de referência. Em áreas onde valores de referência são excedidos, pode-se então efetuar uma avaliação complementar através da coleta, em profundidades discretas, de amostras da água subterrânea, para uma posterior análise química. Tais valores de referência são estabelecidos a partir da experiência de campo ou partir de ambientes geológicos similares. Porém, aqueles encontrados na bibliografia referem-se a solos típicos de clima temperado, não refletindo o comportamento de solos desenvolvidos em região de clima tropical. O objetivo dessa pesquisa é o desenvolvimento de equipamentos de laboratório que possibilitem a obtenção da resistividade de forma a controlar fatores intervenientes, como teor de umidade, compactação, porosidade e grau de saturação. Os resultados assim obtidos permitirão um melhor entendimento dos valores de resistividade determinados a partir de ensaios de campo. Nessa etapa da pesquisa pretende-se estabelecer valores padrão para solos em suas condições usuais, sem a percolação de substâncias ou soluções. Para tanto, será necessária a aquisição de equipamentos e construção de sensores que permitam tal medida em amostras de laboratório. A princípio, essas medidas/equipamentos serão realizadas de duas maneiras: duas placas que serão posicionadas nas laterais extremas do corpo-de-prova, permitindo a leitura da resistividade real; um sensor similar àquele utilizado em um ensaio de piezocone de resistividade, porém, com dimensões menores, para comparação com o valor de campo. O detalhamento desses equipamentos está descrito no projeto. Após a construção dos equipamentos e suas devidas calibrações, iniciar-se-ão os estudos em uma areia pura, estudando-se a variação da resistividade em função da variação do teor de umidade. No final, serão realizados ensaios no laboratório utilizando-se uma areia argilosa, residual, do Grupo Bauru, Formação Marília, para efeito de comparação com os resultados obtidos através do piezocone de resistividade. (AU)