Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo comparativo entre cultura em meio seletivo e reação em cadeia da polimerase em tempo real para detecção da colonização materna por estreptococo do grupo B

Processo: 10/50061-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2010 - 30 de abril de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Sandra Cecília Botelho Costa
Beneficiário:Sandra Cecília Botelho Costa
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):10/10842-0 - Estudo comparativo entre cultura em meio seletivo e reação em cadeia da polimerase em tempo real para detecção da colonização materna por estreptococo do Grupo B, BP.TT
Assunto(s):Streptococcus agalactiae  Biologia molecular  Genética molecular  Reação em cadeia da polimerase em tempo real  Técnicas de genotipagem  Gestantes 

Resumo

O estreptococo do grupo B (EGB) ou Streptococcus agalactiae emergiu em 1970 como a principal causa de morbidade e mortalidade neonatal. Hoje, o EGB permanece uma das principais causas de sepse e meningite em recém-nascidos, apesar dos importantes esforços de prevenção. O trato gastrointestinal humano é o reservatório natural para o EGB e é a provável fonte de colonização vaginal. Doença por EGB em recém-nascidos normalmente resulta da propagação ascendente do EGB no líquido amniótico, o que leva a colonização neonatal e a doença invasiva em algumas crianças. Prematuros apresentam as maiores taxas de mortalidade neonatal. Em 2002, as orientações do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) sugeriram que o diagnóstico da colonização por EGB em mulheres grávidas é melhor realizado por cultura de um swab combinado retal e vaginal utilizando um meio seletivo enriquecido (Todd-Hewitt) a 35-37 semanas de gestação. No entanto, a sensibilidade da cultura na detecção da colonização por EGB varia e resultados levam mais que 36 horas. A rápida e sensível Real Time PCR para a detecção específica do EGB em amostras vaginoretal obtidas de mulheres grávidas, aprovada pelo FDA, proporciona melhorias na acurácia e rapidez no rastreamento da colonização por EGB comparado ao método baseado na cultura padrão usando o meio seletivo enriquecido recomendado. O principal objetivo deste estudo é avaliar o desempenho de um método de Real Time PCR, desenvolvido "in-house", para detectar a colonização neonatal por EGB em mulheres grávidas a 35-37 semanas de gestação e em grávidas em trabalho de parto prematuro e com ruptura pré-termo de membranas, comparando-o com o método padrão de cultura para o rastreamento da colonização por EGB. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PAULA DURANTE ANDRADE; JOICE DE SOUZA RUSSO; JÉSSICA BALIERO GOUVEIA; CLÁUDIA RAQUEL CANTARELLI COSTA; KETTI GLEYZER OLIVEIRA; MICHELLI GIANETTI; EMANUEL BORGES VÍTOR ANJOS; TYCHA BIANCA SABAINI PAVAN; MARIANA FURQUIM DA SILVA MARTINS; JOSIELE FRANCO; MARIA LAURA COSTA; MARCELO LUÍS NOMURA; CARLOS EMÍLIO LEVY; RENATO PASSINI JÚNIOR; SANDRA CECILIA BOTELHO COSTA. Molecular Characterization of Group B Streptococcus Serotypes By Multiplex Polymerase Chain Reaction. MedicalExpress (São Paulo, online), v. 4, n. 4, p. -, Ago. 2017.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.