Busca avançada
Ano de início
Entree

Pós-tratamento de efluente doméstico: irrigação em eucalipto

Processo: 08/57886-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2009 - 31 de agosto de 2011
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Saneamento Ambiental
Pesquisador responsável:Denis Miguel Roston
Beneficiário:Denis Miguel Roston
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Agrícola (FEAGRI). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):09/17930-5 - Monitoramento da qualidade da água subterrânea em sistema de irrigação empregado no pós-tratamento de efluente de lagoa anaeróbia: cultura do eucalipto, BP.TT
Assunto(s):Tratamento de águas residuárias  Reúso da água  Águas subterrâneas  Água para irrigação  Eucalipto 

Resumo

O presente estudo tem como proposta o pós-tratamento e o reuso na cultura do eucalipto, com irrigação de um efluente doméstico oriundo de um sistema de tratamento constituído de lagoa anaeróbia. O sistema de lagoas permite a redução nos ovos de helmintos e protozoários, além de poder funcionar como pulmão em um sistema de tratamento de efluente com finalidade de reuso agrícola. A adoção do sistema de irrigação como pós-tratamento permite o retorno dos elementos básicos aos seus ciclos biogeoquímicos, sendo, também, um processo de recuperação ambiental de resíduos gerados pelas atividades humanas. O experimento está instalado ETE Paula Souza, Prof. Carmelino Corrêa Filho, (antigo Colégio Agrícola de Franca), próxima a ETE City Petrópolis, operada pela SABESP-Franca. Foi implantada a cultura de eucalipto com mudas clonadas, com irrigação e adubação convencional conforme segue nos tratamentos: (1) NPK+B+Zn, sem irrigação; (2) NPK+B+Zn e irrigação com água limpa; (3) irrigação com efluente sem adubação (4) NPK+B+Zn + irrigação com efluente; (5) NPK+B+Zn + irrigação com ½ da necessidade hídrica, com efluente; (6) NPK+B+Zn + irrigação com 1/3 necessidade hídrica, com efluente; (7) NPK+B+Zn + irrigação com 1,5 necessidade hídrica com efluente e (8) sem adubação e sem irrigação. Serão avaliados o desenvolvimento do eucalipto, a contaminação por patógenos e metais pesados no efluente, solo, na planta, e o nitrato na água percolada nas profundidades de 0,30 m; 0,60m e 0,90m e no lençol freático. O principal objetivo é a determinação de taxas de aplicação no solo, que sejam convenientes do ponto de vista sanitário e agronômico, à máxima produção da Cultura e à proteção do aqüífero subterrâneo. Esperam-se obter taxas hidráulicas que viabilizem o pós-tratamento do efluente de origem doméstica na irrigação do eucalipto, atendendo os aspectos sanitários, gronômicos e ambientais. (AU)