Busca avançada
Ano de início
Entree

Relação das MMPs, TIMPs e organização do colágeno com a força de resistência do ligamento periodontal ao movimento eruptivo em incisivos de ratos

Processo: 08/09225-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2009 - 31 de julho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Pedro Duarte Novaes
Beneficiário:Pedro Duarte Novaes
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Erupção dentária  Ligamento periodontal  Colágeno  Matriz extracelular  Enzimas  Metaloproteinases 

Resumo

O ligamento periodontal é um tecido conjuntivo fibroso que ocupa o espaço entre o dente e seu alvéolo, ligando o cemento ao osso alveolar por meio de fibras colágenas, e tem a função principal de ancoragem e suporte dos dentes. Estudos mostram que o metabolismo de proteínas é alto e o turnover das fibras colágenas no ligamento periodontal é muito rápido. Devido a um provável papel do ligamento periodontal nos movimentos funcionais do dente, o mecanismo de remodelação do colágeno tem sido muito investigado. Nos dentes de erupção e crescimento contínuo, como os incisivos de roedores, o ligamento periodontal abrange a face lingual, mesial e parte da distal do dente. O constante movimento eruptivo que ocorre nos incisivos, à medida que eles se desgastam, é acompanhado por uma intensa atividade de remodelação do ligamento periodontal. A remodelação da matriz extracelular do ligamento ocorre pela ação direta de enzimas denominadas metaloproteinases (MMPs) e de seus inibidores endógenos, denominados de TIMPs. Apesar de trabalhos na literatura mostrarem o papel das MMPs no ligamento periodontal, pouco se sabe sobre a atividade das MMPs e TIMPs e sua relação com a resistência do ligamento periodontal bem como a organização do colágeno neste tecido. Da mesma forma, pouco se sabe sobre essas relações em diferentes condições de erupção e função dental. Os incisivos de ratos têm sido utilizados como modelo de estudo das alterações na erupção dental e do metabolismo do ligamento periodontal, pois nestes dentes as condições funcionais podem ser facilmente alteradas, permitindo investigar as mudanças bioquímicas, estruturais e do metabolismo de seus tecidos.Portanto, as relações entre resistência do ligamento periodontal ao movimento eruptivo; a rápida remodelação da matriz extracelular e a atividade das MMPs e TIMPs, são parâmetros que podem contribuir para se entender melhor a biologia e o processo de erupção. Neste intuído, o presente trabalho propõe verificar a relação entre: 1) a taxa de erupção de incisivos inferiores de ratos; 2) a força de resistência do ligamento periodontal; 3) a expressão de MMP-2, -9, MT1-MMP e TIMPs no ligamento periodontal e 4) a organização do colágeno no ligamento periodontal, por meio de técnicas como o zimograma, a zimografia reversa e western blotting, além da microscopia de polarização.Os objetivos 1 e 2 já foram alcançados e mostraram que a taxa de erupção é maior no grupo hipofuncional e menor no grupo contido quando comparada com os demais grupos, e que a força de resistência do ligamento periodontal nos dentes hipofuncionais é menor quando comparada com grupo normofuncional indicando, portanto, possíveis alterações nas moléculas envolvidas no processo de remodelação da matriz extracelular no ligamento. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.