Busca avançada
Ano de início
Entree

Mecanismos envolvidos na ativação do receptor TRPA-1 na nocicepção e hiperalgesia inflamatórias

Processo: 08/03723-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2009 - 31 de maio de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Geral
Pesquisador responsável:Claudia Herrera Tambeli
Beneficiário:Claudia Herrera Tambeli
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):10/06006-2 - Mecanismos envolvidos na ativação do receptor TRPA-1 na nocicepção e hiperalgesia inflamatórias, BP.TT
09/07837-8 - Mecanismos envolvidos na ativação do receptor TRPA-1 na nocicepção e hiperalgesia inflamatórias, BP.TT
Assunto(s):Nociceptores  Dor  Canais de receptores transientes de potencial  Hiperalgesia  Citocinas 

Resumo

Estudos recentes sugerem que o receptor ionotrópico TRPA-1 desempenha um importante papel na condução da informação nociceptiva em condições de inflamação periférica. Esse receptor parece ser expresso exclusivamente em neurônios nociceptivos primários e pode ser ativado indiretamente em resposta a mediadores inflamatórios que ativam a via da fosfolipase C. Essas características tornam o TRPA-1 um alvo potencial muito interessante para o desenvolvimento de novos fármacos para o controle da dor. O receptor TRPA-1 também pode ser ativado diretamente, por substâncias químicas reativas endógenas e exógenas. Recentemente foi demonstrado que o formaldeído ativa diretamente o TRPA-1 e o bloqueio desse receptor praticamente abole a resposta nociceptiva induzida pela formalina. Apesar de ter sido sugerido que o mecanismo pelo qual a formalina induz nocicepção seja a ativação direta do TRPA-1, recentemente tem sido descrito que os mecanismos que medeiam in vivo a nocicepção resultante de dano tecidual e inflamação envolvam a co-ativação de diferentes receptores que ativam vias independentes e sinérgicas. De acordo com essa idéia, já foi demonstrado que a nocicepção induzida pela formalina depende da ativação tanto de receptores H1 quanto 5-HT 1A e 3. O papel do TRPA-1 no processo de sensibilização dos nociceptores periféricos tem sido pouco investigado, mas a ativação ou sensibilização do TRPA-1 pelos diferentes mediadores infamatórios pode contribuir para a diminuição do limiar nociceptivo e conseqüentemente para a hiperalgesia inflamatória. Diante disso, o primeiro objetivo desse projeto é testar a hipótese de que a nocicepção induzida no modelo da formalina depende da co-ativação dos receptores TRPA-1, H1 e 5-HT 1A e 3. Para isso avaliaremos: (a) Se a ativação de cada um desses receptores contribui de forma independente, porém sinérgica, para a nocicepção induzida pela injeção de formalina. (b) Se a ativação dos receptores H1 e 5-HT 1A e 3 ativa o receptor TRPA-1. (c) Se a ativação do TRPA-1 pela formalina contribui para a liberação de 5-hidroxitriptamina e histamina. O segundo objetivo desse projeto é testar a hipótese de que o TRPA-1 medeia a hiperalgesia inflamatória mecânica induzida no modelo da carragenina, e caso medeie, se mecanismos indiretos mediados pelo aumento da migração leucocitária e da expressão de citocinas inflamatórias estão envolvidos. (AU)