Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise funcional e molecular das alterações vasculares induzidas pela hiperativação dos receptores beta-adrenérgicos: papel do sistema-regina-antiotensina-aldosterona

Processo: 10/50323-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2010 - 31 de outubro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Ana Paula Couto Davel
Beneficiário:Ana Paula Couto Davel
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Isoproterenol  Reatividade cardiovascular 

Resumo

A hiperativação dos receptores b-adrenérgicos (b-AR) associa-se a gênese e manutenção de doenças cardiovasculares que cursam com aumento da atividade nervosa simpática, como a insuficiência cardíaca. Experimentalmente, a hiperativação dos beta-AR pode ser realizada através do tratamento crônico de ratos com o agonista b-AR isoproterenol. Nosso grupo de pesquisa demonstrou pela primeira vez que na aorta de ratos tratados cronicamente com isoproterenol há aumento da resposta vasoconstritora da fenilefrina, associado à disfunção endotelial, redução da biodisponibilidade de oxido nítrico (NO) e aumento da produção do ânion superóxido, além de uma síntese aumentada de fatores pró-inflamatórios localmente. Estes dados reforçam a hipótese de um papel patológico para a ativação crônica dos b-AR vasculares. Sabe-se que tanto a angiotensina II, via ativação de receptores ATi, como a aldosterona, via ativação de receptores para mineralocorticóides (MR) podem induzir disfunção endotelial, estresse oxidativo e inflamação, via uma cascata de sinalização dependente dentre outros da ativação de MAP kinases. De acordo, dados da literatura demonstram que ambos, o antagonismo dos receptores AT1, e MR melhoram o estresse oxidativo e reduzem os níveis teciduais de citocinas pró-inflamatórias em artérias de animais espontaneamente hipertensos. Uma vez que a ativação dos receptores b-AR pode ativar o sistema renina-angiotensina-aldosterona tanto sistemicamente como localmente, o objetivo do presente projeto é investigar os efeitos vasculares do antagonismo de receptores AT1 e dos receptores MR no modelo de hiperativação dos receptores P-AR induzido pelo tratamento crônico com isoproterenol, com ênfase nos mecanismos funcionais, bioquímicos e moleculares associados. Para tal, ratos Wistar serão tratados com isoproterenol ou veículo e co-tratados com antagonistas dos receptores AT1 ou MR. Nas artérias destes animais realizaremos: experimentos de reatividade vascular; medidas de fluorescência para inferir o estresse oxidativo e produção de NO in situ; experimentos de RT-PCR em tempo real e Western-blot para análise de expressão gênica e protéica, respectivamente, de fatores pró-inflamatórios, de enzimas anti-e pró-oxidantes e de MAP kinases. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GUIZONI, DANIELE M.; DORIGHELLO, GABRIEL G.; OLIVEIRA, HELENA C. F.; DELBIN, MARIA A.; KRIEGER, MARTA H.; DAVEL, ANA P. Aerobic exercise training protects against endothelial dysfunction by increasing nitric oxide and hydrogen peroxide production in LDL receptor-deficient mice. JOURNAL OF TRANSLATIONAL MEDICINE, v. 14, JUL 19 2016. Citações Web of Science: 13.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.