Busca avançada
Ano de início
Entree

Mecanismos de acao envolvidos na atividade antiulcerogenica de plantas ricas em compostos fenolicos

Processo: 08/55623-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2009 - 28 de fevereiro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Etnofarmacologia
Pesquisador responsável:Alba Regina Monteiro Souza Brito
Beneficiário:Alba Regina Monteiro Souza Brito
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Compostos fenólicos  Rhizophora mangle  Úlcera gástrica  Plantas medicinais 

Resumo

O estudo de compostos ativos em plantas medicinais é responsável por cerca de 25% dos medicamentos produzidos atualmente. A atividade de: compostos fenólicos, pelos efeitos benéficos que apresentam em distúrbios neurodegenerativos, doenças cardiovasculares, câncer e inflamações do trato gastrintestinal, desperta a atenção para a pesquisa de espécies ricas nesses compostos. Nesse sentido, este projeto tem por objetivos avaliar os mecanismos de ação envolvidos na atividade antiulcerogênica de frações ricas em compostos fenólicos das espécies Anacardium humile, Abarema cochliocarpos e Rhizophora mangle. Estas espécies, que foram selecionadas através de levantamentos etnofarmacológicos em comunidades tradicionais, apresentaram atividade antiulcerogênica em vários modelos experimentais de indução de úlcera. A metodologia abrangerá: a) ensaios para a quantificação de compostos fenólicos e da atividade antioxidante das frações; b) modelos de indução de lesão gástrica aguda e crônica; c) determinação dos mecanismos de ação, através da avaliação dos parâmetros bioquímicos da secreção gástrica, da determinação da produção de muco e de prostaglandinas produzidas na mucosa gástrica, e, pela determinação dos níveis de gastrina, somatostatina e colecistoquinina; d) determinação dos mecanismos antioxidantes e antiinflamatórios, através da dosagem de grupamentos sulfidrila, determinação do índice de peroxidação lipídica, avaliação da atividade de enzimas antioxidantes e por Western blotting. Considerando-se que a terapêutica atual apresenta limitações, como a ineficácia na inibição de reincidência de úlceras em usuários de drogas antiinflamatórias não esteroidais, torna-se importante, e, interessante o estudo de novas substâncias com atividade anti-úlcera. (AU)