Busca avançada
Ano de início
Entree

Derivados de quinazolinas na inibição da adenosina quinase: aplicação de ressonância magnética nuclear (RMN)

Processo: 08/54564-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2008 - 30 de abril de 2011
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Ljubica Tasic
Beneficiário:Ljubica Tasic
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Bioatividade 

Resumo

O desenvolvimento de agentes farmacológicos com função específica tem papel importante em vários aspectos da pesquisa em química, química medicinal, biologia, bioquímica e química farmacêutica, bem como no estabelecimento de novas estratégias terapêuticas. Neste contexto, encontra-se o núcleo quinazolina que, quando seletivamente funcionalizado, constitui o bloco construtor para a preparação de numerosos alcalóides e substâncias com atividade biológica pronunciada, assim, apresentando alvo farmacológico interessantíssimo. O presente projeto apresenta a proposta para a preparação de uma série de compostos inéditos, sendo os derivados de 4-anilinoquinazolinas 2- e 7- substituídas e 2- e 8- substituídas, utilizando métodos sintéticos já conhecidos. Os compostos alvos, após a purificação, serão caracterizados, principalmente, aplicando técnicas de ressonância magnética nuclear (RMN), i.e., homo-, hetero- nucleares e multidimensionais, bem como serão avaliados quanto ao potencial de inibição da adenosina quinase in vitro. Posteriormente, as interações dos potenciais fármacos, i.e., compostos que se mostrarem ativos, com a adenosina quinase serão avaliadas por técnicas de RMN, tais como, STD-NMR (Saturation Transfere Difference -Nuclear Magnetic Resonance), DOSY (Diffusion Ordered Spectroscopy) e (15N-1H) HSQC (Heteronuclear Single Quantum Coherence). Esperamos, portanto, definir grupo(s) farmacofórico(s) das 4-anilinoquinazolinas biologicamente ativas, como também caracterizar seu(s) sítio(s) de ligação na adenosina quinase e desvendar seu(s) mecanismo(s) de atuação na inibição desta importante enzima. (AU)