Busca avançada
Ano de início
Entree

As patologias da modernidade e os remédios das humanidades:investigacao e experimentação

Resumo

Diante do impasse que se observa hoje frente às discutíveis políticas e programas de humanização na área da saúde, este projeto pretende problematizar os pressupostos teórico-filosóficos que os norteiam, propondo uma análise "arqueológica" dos conceitos de humanismo que fundamentam tais políticas e propostas. Nesse sentido, em uma de suas vertentes, este projeto procurará investigar as diversas concepções antropológicas produzidas na Modernidade que determinaram, ao fim e ao cabo, uma perspectiva "patológica" de humanização. Por outro lado, partindo de uma experiência educacional concreta (o Laboratório de Humanidades) este projeto procurará investigar o papel das Humanidades enquanto meio de humanização efetiva no âmbito da saúde, a partir da abordagem qualitativa do discurso de seus participantes. A experiência educacional cotidiana tem demonstrado que o contato e fruição das obras artísticas, filosóficas e, principalmente, literárias, por parte dos formandos e profissionais da saúde, apresenta-se como um instrumento transformador, detonador de um processo de "ampliação da esfera do ser" (TEIXEIRA COELHO, 2001), elemento fundamental para a existência de uma efetiva humanização. Este projeto, através de metodologias adequadas, quer, pois, avaliar, de forma ampla e profunda, esta experiência heterodoxa de humanização, procurando compreender a sua dinâmica e, validando-a, apresentá-la como um possível "remédio" frente ao contexto patológico determinado pela "mecânica" moderna, onde as intervenções humanizadoras parecem, muitas vezes, acentuar a desumanização. (AU)