Busca avançada
Ano de início
Entree

Rastreamento de diversos tipos de imunodeficiência primária em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico

Processo: 09/53449-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2010 - 31 de janeiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Luiz Eduardo Coelho Andrade
Beneficiário:Luiz Eduardo Coelho Andrade
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Reumatologia  Lúpus eritematoso sistêmico  Doenças autoimunes 

Resumo

O lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma das doenças auto-imunes sistêmicas mais comuns, sendo considerada o protótipo de enfermidade auto-imune sistêmica. O desencadeamento da doença e sua variação temporal em intensidade resultam de inúmeros fatores: hormônios, microrganismos, luz UV, estresse, dieta, genética, dentre outros. Em todos os casos, parece haver a participação de fatores endógenos e exógenos desencadeantes e a modulação pelo ambiente neuro-hormonal. Chama atenção a associação do LES com algumas formas de imunodeficiência primária (IDP) leves, como a deficiência de C2, C4, Clq e variantes hipomórficas de FcγRIIa, FcγRIIb, FcγRIIIa e FcγRIIIb, o que permite supor que uma parcela dos casos da doença correlaciona-se à existência de alguma forma de IDP subjacente. A deficiência da lectina ligadora de manose (MBL) parece estar associada a maior suscetibilidade a doenças auto-imunes, segundo Mullighan e cols (2000). Winkelstein et al. (2000) levantaram 368 casos de Doença Granulomatosa Crônica e acharam 2,7% com lúpus discóide e 0,5% com LES, além de alguns casos nos parentes de primeiro grau dos pacientes. Recentemente, Cassidy et al (2007) detectaram uma freqüência de 5,2% de deficiência seletiva de IgA em LES juvenil e 2,6% em lúpicos adultos. Cerca de 25% dos pacientes com Imunodeficiência Comum Variável desenvolve alguma doença auto-imune, incluindo LES. Casos semelhantes ao LES em pacientes com Síndrome Auto-imune Linfoproliferativa (ALPS) foram descritos. Zonios et al (2008) encontraram 3 casos de LES em 39 pacientes com linfocitopenia CD4+ idiopática. Há alguns relatos de casos de LES em pacientes com síndrome Hiper-IgM. Embora haja abundante documentação na literatura da freqüência de diversas IDP individuais no LES, não temos conhecimento de um estudo que tenha determinado sistematicamente qual a fração dos pacientes lúpicos apresenta algum tipo de IDP. Cogitamos que o somatório das várias IDP associadas a auto-imunidade poderia definir um subgrupo de LES com características clínicas, fisiopatológicas, terapêuticas e prognósticas diferenciadas. Objetivos: 1) Estimar a importância relativa da presença de imunodeficiência primária no LES mediante pesquisa de um conjunto de IDPs em uma série consecutiva de pacientes com LES e em uma amostra de controles hígidos. 2) Comparar as características clínicas dos pacientes lúpicos com e sem evidências de IDP. Materiais e métodos: Serão incluídos 300 pacientes com LES acompanhados no ambulatório de Doenças Reumáticas Auto-imunes da UNIFESP e 300 controles pareados coletados de doadores de sangue. Todos serão submetidos a interrogatório e exame físico e terão uma amostra de sangue coletada para determinação de frações do Complemento e MBL, dosagens séricas de imunoglobulinas e subclasses de IgG e quantificação da explosão respiratória em neutrófilos. Aqueles que apresentarem alguma alteração de algum exame serão submetidos a uma nova coleta sangüínea após 60 dias para confirmação do resultado. Caso esteja em atividade da doença, será acompanhado e submetido a novos exames após o final do surto ou excluído se mantiver atividade até fevereiro de 2011. A análise estatística para variáveis contínuas será feita com o teste t de Student e para as qualitativas com o Chi-quadrado, por meio do software SPSS. (AU)

Publicações científicas (4)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
COSTA PEREIRA, KALINE MEDEIROS; PERAZZIO, SANDRO; FARIA, ATILA GRANADO A.; MOREIRA, ELOISA SA; SANTOS, VIVIANE C.; GRECCO, MARCELLE; DA SILVA, NEUSA PEREIRA; COELHO ANDRADE, LUIS EDUARDO. Impact of C4, C4A and C4B gene copy number variation in the susceptibility, phenotype and progression of systemic lupus erythematosus. ADVANCES IN RHEUMATOLOGY, v. 59, n. 1 AUG 6 2019. Citações Web of Science: 0.
PERAZZIO, SANDRO F.; GRANADOS, ATILA; SALOMAO, REINALDO; SILVA, NEUSA P.; CARNEIRO-SAMPAIO, MAGDA; ANDRADE, LUIS EDUARDO C. High frequency of immunodeficiency-like states in systemic lupus erythematosus: a cross-sectional study in 300 consecutive patients. RHEUMATOLOGY, v. 55, n. 9, p. 1647-1655, SEP 2016. Citações Web of Science: 1.
SANDRO FÉLIX PERAZZIO; NEUSA PEREIRA DA SILVA; MAGDA CARNEIRO-SAMPAIO; LUIS EDUARDO COELHO ANDRADE. Mild and moderate Mannose Binding Lectin deficiency are associated with systemic lupus erythematosus and lupus nephritis in Brazilian patients. REVISTA BRASILEIRA DE REUMATOLOGIA, v. 56, n. 3, p. 220-227, Jun. 2016. Citações Web of Science: 4.
PERAZZIO, S. F.; SALOMAO, R.; SILVA, N. P.; ANDRADE, L. E. C. Increased neutrophil oxidative burst metabolism in systemic lupus erythematosus. Lupus, v. 21, n. 14, p. 1543-1551, DEC 2012. Citações Web of Science: 17.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.