Busca avançada
Ano de início
Entree

Extração de DNA para a análise da amelogenina em amostras fixadas em formalina, incluidas em parafina e arquivadas por 1 e 5 anos no Departamento de Patologia da UNIFESP

Processo: 08/11233-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2009 - 31 de março de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Edna Sadayo Miazato Iwamura
Beneficiário:Edna Sadayo Miazato Iwamura
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Genética forense  Amelogenina  Reação em cadeia por polimerase (PCR) 

Resumo

A investigação biológica avançou nas últimas décadas com o desenvolvimento da biologia molecular e genética. Entre esses avanços destaca-se a reação em cadeia da polimerase (PCR), que possibilita a amplificação de pequenas amostras de DNA , o suficiente para permitir a identificação. Por essa técnica é possível analisar e identificar o DNA obtido de bulbos capilares, ossos, saliva, sangue, gotas de esperma, lâminas histológicas coradas. entre outros. Novas abordagens surgiram com o advento dessa técnica, como a análise retrospectiva de tecidos incluídos em blocos de parafina para investigação de doenças hereditárias, pesquisa de agentes infecciosos e desordens genéticas. A possibilidade de se estudar DNA extraído de tecidos fixados em formalina e incluidos em parafina (FFTIP), permite investigações retrospectivas valiosas. Entretanto, de acordo com alguns autores é difícil obter DNA genômico de boa qualidade, uma vez que o processo de fixação, frequentemente, resulta na fragmentação do DNA além das ligações cruzadas de proteína-proteína e proteína-DNA que se formam. Além disso, o formaldeído dentro do tecido gradualmente se modifica em ácido fórmico, hidrolisando o DNA. A obtenção do DNA em condições ideais para amplificação é um fator limitante desse tipo de amostra, o tipo de fixador utilizado, o tempo de fixação, condições de inclusão e condições de armazenagem podem resultar na degradação do DNA. Neste trabalho pretendemos utilizar amostras de fígado, baço e cérebro normais coletadas durante os procedimentos de necropsia, bem como amostras de fígado e baço e cérebro obtidas com diferentes tempos de armazenagem (arquivadas por 1 e 5 anos), oriundas dos arquivos do Departamento de Patologia da UNIFESP. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FUNABASHI, KARINA SILVA; BARCELOS, DENISE; VISONA, IRIA; SILVA, MARCELO SOUZA E; SOUSA, MARIA LUIZA ALMEIDA PRADO OLIVEIRA E; DE FRANCO, MARCELLO FABIANO; MIAZATO IWAMURA, EDNA SADAYO. DNA extraction and molecular analysis of non-tumoral liver, spleen, and brain from autopsy samples: The effect of formalin fixation and paraffin embedding. PATHOLOGY RESEARCH AND PRACTICE, v. 208, n. 10, p. 584-591, 2012. Citações Web of Science: 15.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.