Busca avançada
Ano de início
Entree

Monitoramento do processo decisório e dos estados de humor de pilotos de caça e instrução nas situações antes e após missões

Resumo

A segurança de vôo é elemento fundamental na atividade de aviação. Acidentes e incidentes fazem parte da história da aviação, sendo que parte significativa das causas estão relacionadas ao desempenho humano. O desempenho humano é afetado sobremaneira pelos aspectos cognitivos e a relação de consonância destes com o nível de exigência da tarefa. Contudo, aspectos comportamentais como as alterações do humor e estado de estresse, provocadas pela restrição de sono, fadiga e ocorrências externas podem facilmente influenciar a expressão ótima destas capacidades cognitiva e, naturalmente, o desempenho do piloto. De acordo com Ribas (2003), pouco antes da realização de tarefas importantes, o piloto se encontra em um estado de intensa carga psíquica. Este estado se caracteriza, sob o ponto de vista psicológico, pela antecipação das oportunidades, riscos e conseqüências. Nesta fase, intervêm freqüentemente medo e temor, que não só se manifestam em processos cognitivos, mas também podem produzir reações vegetativas, motoras e emocionais.A pilotagem de aeronaves, de acordo com Ribas (2003), aparentemente não se caracteriza por intenso esforço físico. Ao contrário, o piloto tende a se tornar cada vez mais sedentário, em razão de permanecer por longos períodos de tempo sentado e com restrita movimentação dos principais segmentos corporais. Por outro lado, a responsabilidade da função demanda um grande componente de estresse mental, aliado à necessidade de permanentemente estar o piloto vigilante, atento, e preciso em seus movimentos de comando da aeronave.Verificou-se, através de dados do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, que num período de 10 anos, 77% das ocorrências estavam relacionadas a fatores psicológicos, destacando-se a ansiedade, a diminuição dos níveis de atenção e a pressão.Nesse sentido, as variações dos estados de humor podem influenciar de forma significativa o desempenho de pilotos, visto que os diferentes tipos de missão que cumprem podem afetar sobremaneira seu estado emocional e, conseqüentemente, sua decisão. O principal objetivo deste estudo é monitorar os estados de humor e nível de estresse de pilotos de caça e instrução da Marinha do Brasil em missões de vôo simples e complexas.Participarão do estudo, 30 pilotos de caça e instrução da marinha brasileira, do gênero masculino, que estejam fisicamente aptos à função e que não apresentem infecções ou doenças que possam comprometer a percepção dos mesmos quanto aos estados de humor e níveis de cortisol salivar no momento das coletas.Serão utilizados para a coleta de dados o “Inventário de análise da percepção subjetiva do risco da missão”, utilizado pela própria marinha brasileira antes das missões de vôo; o “questionário do Perfil dos Estados de Humor (POMS)” para avaliação subjetiva das variações impostas pelas diferentes condições das missões de vôo; o “questionário das Escalas Analógicas Visuais do Humor (VAMS)” para avaliação subjetiva dos estados de humor e a análise de Cortisol e IgA Salivar. Também será utilizado o Sistema de Testes de Viena para avaliar a capacidade de decisão dos pilotos antes e após as missões de vôo.Inicialmente será realizada uma curva circadiana basal (cortisol salivar 24h). Posteriormente os dados serão coletados nas situações pós “briefing”, antes e após as missões de vôo simples e complexa.Espera-se que os níveis de cortisol salivar e o perfil dos estados de humor apresentem uma modificação significativa após as missões. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio::
O risco dos corujões 
Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)