Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da resposta imunológica sistêmica e de vias aéreas superiores de atletas após maratona

Processo: 09/51800-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2009 - 31 de outubro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia do Esforço
Pesquisador responsável:Mauro Walter Vaisberg
Beneficiário:Mauro Walter Vaisberg
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Sistema imune  Atividade física  Maratona  Imunoglobulinas  Citocinas  Resposta inflamatória 

Resumo

O estudo da relação entre a resposta imune e o exercício envolve vários aspectos da influências recíproca entre a atividade física e sistema imunológico. Destes, a ocorrência de uma doença de vias aéreas em atletas submetidos a esforços exaustivos, tem desafiado pesquisadores da área, pois as hipóteses propostas para explicar esta moléstia deixam uma série de lacunas. Recentemente foi proposto que a moléstia de vias aéreas do atleta está relacionada tanto a infecções como a processos inflamatórios e alérgicos. Tal proposta pressupõe que o processo seja decorrente de uma ativação inadequada tanto da resposta imune local como sistêmica, ao contrário do que tem sido proposto até o momento, pois o modelo vigente que busca explicar a moléstia das vias aéreas do atleta supõe que ocorra um estado de imunodepressão sistêmica que seria responsável pela ocorrência de infecções de vias aéreas superiores, o que claramente deixa uma série de perguntas sem resposta, tais como o motivo desta imunossupressão causar somente infecções de vias aéreas e não outras patologias associadas a um estado de imunodepressão. Em nosso estudo nos propomos a estudar o efeito de citosinas produzidas localmente na via aérea superior pelo estudo de células obtidas por swab nasal, bem como o efeito de citosinas produzidas à distância tanto por células do sistema imune como por células musculares e que possam ter efeito à distância, especificamente nas células da mucosa de vias aéreas superiores. Para tanto estudaremos sessenta atletas participantes da maratona de São Paulo, de modo a obter todas as amostras sob as mesmas condições de temperatura, poluição ambiental e umidade do ar. Serão colhidas amostras de sangue e do swab nasal em três tempos, em repouso, imediatamente após o término da prova e após período de quarenta e oito horas. Serão analisadas a produção local e sistêmica das seguintes citocinas: IL-1, TNF-alfa, IL-4, IL-5, IL-6, IL-8, IL- 12p70, IL-15, IL-17, todas ligadas à gênese de processos alérgicos e inflamatórios. Em maratonistas é descrita a diminuição da concentração de IgA salivar e sua associação à doença infecciosa de vias aéreas, de modo que também dosaremos a concentração desta imunoglobulina nos três tempos do estudo. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
VAISBERG, MAURO; SUGURI, VINICIUS M.; GREGORIO, LUIZ C.; LOPES, JOSE D.; BACHI, ANDRE L. L. Cytokine kinetics in nasal mucosa and sera: new insights in understanding upper-airway disease of marathon runners. EXERCISE IMMUNOLOGY REVIEW, v. 19, p. 49-59, 2013. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.