Busca avançada
Ano de início
Entree

Moléculas biologicamente ativas de baixo peso molecular: busca de inibidores de enzimas no veneno de Loxosceles laeta (possíveis aplicações em patologias humanas) e estudo preliminar de feromônios sexuais e cairomônios das aranhas marrons

Processo: 08/02899-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2009 - 28 de fevereiro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Enzimologia
Pesquisador responsável:Fernanda Calheta Vieira Portaro
Beneficiário:Fernanda Calheta Vieira Portaro
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):09/09530-7 - Busca de novos inibidores de proteases na fração de baixo peso molecular no veneno de Loxosceles laeta (Nicolet, 1849)., BP.TT
Assunto(s):Enzimas proteolíticas  Venenos de origem animal  Aranhas  Loxosceles laeta  Peptídeo hidrolases 

Resumo

A busca de moléculas biologicamente ativas em venenos animais tem revelado novos compostos com grande potencial de aplicação, tanto como ferramentas para a pesquisa básica quanto como para o desenvolvimento de novos fármacos. O presente projeto parte desta motivação, utilizando o veneno da Loxosceles laeta como fonte de busca de moléculas inéditas de baixo peso molecular com atividades inibitórias sobre as proteases e esfingomielinases endógenas deste veneno. Os recentes resultados sobre ESTs obtidos a partir da glândula da L. laeta pelo nosso grupo de pesquisa serão de grande utilidade para a elucidação das seqüências primárias de novas moléculas ativas presentes neste veneno e ainda não caracterizadas. Após a descoberta dos inibidores peptídicos, estenderemos nossos estudos ao bloqueio de proteases humanas de importância patológica. Paralelamente, faremos um estudo com os feromônios sexuais e os cairomônios utilizados pelas aranhas marrons, onde aspectos evolutivos e comportamentais importantes sobre o gênero Loxosceles poderão ser evidenciados. Finalizando, é importante ressaltar que, tanto a frequência dos acidentes causados por estes aracnídeos, quanto a evolução clínica dos quadros pode caracterizá-los como fator de interesse ao nível da saúde pública. Nos últimos anos, as regiões Sul e Sudeste do Brasil têm sido acometidas por inúmeros acidentes causados por "aranhas-marrons". Diante desta altíssima casuística, o conhecimento científico sobre as toxinas presentes no veneno deste animal, bem como um melhor aprendizado técnico-científico se faz necessário, o qual futuramente poderá propiciar soluções para esta endemia. Assim, diante da tão relevante importância clínica, faz-se pertinente um estudo da busca de novas moléculas biologicamente ativas tanto presentes no veneno quanto de feromônios e cairomônios, sendo este o principal enfoque desse trabalho, acrescido do interesse biotecnológico. (AU)