Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação e recondicionamento de pulmões "marginais" doados para transplante através da perfusão pulmonar ex vivo

Processo: 09/54733-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2011 - 30 de setembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Paulo Manuel Pêgo-Fernandes
Beneficiário:Paulo Manuel Pêgo-Fernandes
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Transplante de pulmão  Preservação  Reservatórios  Gasometria  Artéria pulmonar  Perfusão 

Resumo

O transplante pulmonar apresentou um grande avanço nas últimas décadas e representa hoje uma terapia cirúrgica eficaz para o tratamento de doenças pulmonares avançadas. O nosso objetivo é avaliar a exeqüibilidade e segurança da perfusão pulmonar ex vivo em pulmões "marginais" doados para transplante. Determinar se a perfusão pulmonar ex vivo em pulmões "marginais" disponibilizados para transplante é capaz de aumentar a taxa de utilização desses órgãos. Avaliar o prognóstico dos pacientes transplantados com pulmões recondicionados através da perfusão pulmonar ex vivo (PPEV).Serão vinte casos transplantados em 2 anos, utilizaremos pulmões de doadores em morte encefálica notificados pela Central de Transplante do Estado de São Paulo, que normalmente seriam recusados por apresentar uma gasometria arterial insatisfatória, isto é, Pa02 < 300 mmHg (Fi02 100%). O único critério para recusa do órgão deve ser a gasometria ruim; os outros critérios para seleção de doadores têm que sergasometria ruim; os outros critérios para seleção de doadores têm que ser preenchidos: idade inferior a 55 anos, tabagismo inferior a 20 maços-anos, ausência de infiltrados na radiografia de tórax, ausência de secreção purulenta e sinais de aspiração na broncoscopia.Os pulmões serão implantados nos pacientes da lista do InCor-HCFMUSP, de acordo com a compatibilidade e posição na lista.Metodologia: Após a extração, os pulmões são imersos em solução salina a 4°C e transportados em caixa térmica. O sistema de perfusão é formado por conjunto de tubos, reservatório venoso, oxigenador de membrana, trocador de calor e bomba centrífuga (Braile Biomédica, São José do Rio Preto, Brasil), formando um circuito semelhante ao comumente usado para circulação extracorpórea em cirurgias cardiovasculares. O bloco pulmonar é colocado em uma caixa rígida transparente (XVIVO, Vitrolife, Suécia). Uma sonda orotraqueal é introduzida e fixada na traquéia. Uma cânula de perfusão (Vitrolife) é introduzida no tronco da artéria pulmonar. Esta cânula possui uma sonda embutida para acoplamento em um transdutor de pressão, possibilitando monitorização contínua da pressão de artéria pulmonar (PAP). O retorno da solução pelas veias pulmonares flui diretamente para a caixa de contenção, sendo drenado para o reservatório. (AU)