Busca avançada
Ano de início
Entree

Atributos edáficos e classes de solos e sua relação com as fisionomias de cerrado na Estação Ecológica de Assis, SP

Processo: 09/00132-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2009 - 31 de maio de 2010
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Ricardo Marques Coelho
Beneficiário:Ricardo Marques Coelho
Instituição-sede: Instituto Agronômico (IAC). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Manejo do solo  Conservação do solo  Química do solo  Morfologia do solo  Física do solo  Cerrado 

Resumo

A vegetação do Cerrado, que compreende um mosaico de fisionomias que variam desde o campo limpo até o cerradão, tem seu gradiente fisionômico associado com o solo, o clima, o fogo e com interferências antrópicas. A compreensão de como atuam os fatores condicionantes deste mosaico de fisionomias é de extrema importância para o manejo visando à conservação dos ecossistemas e, também, para a restauração da vegetação do Cerrado. O presente estudo tem como objetivo verificar como as diferentes fisionomias da vegetação na Estação Ecológica de Assis, SP, livres de perturbações durante 44 anos, estão correlacionadas com características físico-hídricas, físicas e químicas do solo. Em 30 parcelas permanentes de 1.000 m2, distribuídas no gradiente fisionômico compreendendo cerrado típico, cerrado denso e cerradão, foi feita caracterização granulométrica e química para fins de fertilidade (macro e micronutrientes) de amostras de solo tomadas entre 0-20 e de 60-80 cm de profundidade. Esses dados já foram obtidos e estão disponíveis. Em trincheiras, com 2 m de profundidade, instaladas em 15 parcelas representativas do gradiente das fisionomias da vegetação, os perfis de solo serão caracterizados morfologicamente e amostras coletadas por horizonte genético para análises granulométricas e químicas, com fins de classificação dos solos. Nestes mesmos perfis, amostras não-deformadas serão coletadas em anéis volumétricos para obtenção da curva de retenção de água. Os dados de retenção de água serão ajustados pelo modelo de Genuchten (1980), para obtenção da curva de retenção de água do solo e de seus parâmetros. Serão efetuadas análises de correlação e regressão da estrutura da vegetação (biomassa, área basal e densidade) no gradiente fisionômico, todos dados já obtidos e disponíveis, com as variáveis físicas, químicas e físico-hídricas dos solos. Classificação, morfologia e tipos de horizontes diagnósticos subsuperficiais dos solos serão usados na interpretação dos dendrogramas da análise de agrupamento (cluster) da composição florística e da estrutura das parcelas. As variáveis físicas, químicas e hídricas dos perfis de solos serão analisadas por análise dos componentes principais (PCA). Parâmetros de solos selecionados na PCA serão comparados com os dados da vegetação por análise de correspondência canônica (CCA). A distribuição dos parâmetros de estrutura da vegetação em associação aos parâmetros de solos nos eixos de ordenação da CCA, bem como a distribuição da composição florística nas parcelas em associação com os parâmetros de solos nos eixos de ordenação da CCA serão utilizadas na inferência das associações entre solos e vegetação e na inferência do papel dos atributos físicos, físico-hídricos e químicos do solo como determinantes das diferentes fisionomias de cerrado em regiões tropicais com inverno seco de duração moderada. (AU)