Busca avançada
Ano de início
Entree

Himenópteros parasitóides (Insecta, Hymenoptera) associados a Lepidópteros (Insecta, Lepidoptera) em cultivos de café Coffea arabica L. (Rubiaceae) em Cravinhos, SP, Brasil

Processo: 07/05814-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de janeiro de 2008 - 31 de dezembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Nelson Wanderley Perioto
Beneficiário:Nelson Wanderley Perioto
Instituição-sede: Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Controle biológico  Interação planta-inseto  Interações hospedeiro-parasita  Lepidópteros  Parasitos de plantas  Cafeicultura  Coffea arabica  Cravinhos (SP) 

Resumo

Este projeto tem por objetivo a identificar os parasitóides de larvas de lepidópteros associadas à cultura do cafeeiro, estabelecer as relações hospedeiro/parasitóide e estudar a flutuação populacional e a influência de fatores climáticos sobre aquelas populações de artrópodes. A amostragem dos himenópteros parasitóides associados a larvas de lepidópteros do café se dará em duas fases: a primeira, já realizada compreende, material biológico oriundo do projeto de pesquisa denominado Dinâmica populacional de hemerobiídeos (Neuroptera, Hemerobiidae) e dos artrópodes fitófagos (bicho-mineiro, ácaros vermelho e da mancha-anular e as cochonilhas verde e branca) em cultivos de café Coffea arabica L. (Rubiaceae), coordenado por Rogéria I. R. Lara, da Apta Regional Ribeirão Preto. A amostragem da entomofauna associada ao cafeeiro, realizada através de armadilhas de Moericke e luminosa, foi feita semanalmente de maio/2005 a abril/2007 em lavoura de café arábica cv. Obatã localizada na Fazenda Palmares, em Cravinhos, SP.Os insetos coletados foram encaminhados ao Lab. de Sistemática e Bioecologia de Parasitóides e Predadores (LSBPP) - Apta Ribeirão Preto onde ocorreu triagem prévia para retirada dos hemerobiídeos; o material restante foi acondicionado em frascos plásticos etiquetados, conservado ETOH a 70% e mantido sob refrigeração. A segunda parte da amostragem, destinada a estabelecer as relações hospedeiro-parasitóides, será realizada através de coleta de larvas de lepidópteros (manualmente e com o uso de guarda-chuva entomológico e de rede de varredura) no mesmo local onde se realizou a amostragem supra descrita. As coletas, quinzenais, terão início em meados de setembro/2007 e se estenderão até o final de junho/2008. As larvas coletadas serão transportadas ao LSBPP e individualizadas em frascos de vidro tampados com tecido de voal, mantidas em câmara climatizada e alimentadas com folhas de cafeeiro até a emergência dos adultos e/ou dos parasitóides. Os himenópteros parasitóides obtidos serão triados a nível de família e aqueles pertencentes a grupos que têm por hospedeiros imaturos de Lepidoptera serão montados em alfinetes entomológicos e identificados a nível específico, quando possível, através do uso de literatura pertinente. Os adultos de lepidópteros e de parasitóides não identificados serão encaminhados a especialistas para identificação. A amostragem do bicho-mineiro, já realizada, seguiu metodologia proposta por GRAVENA (2003). As amostragens foram realizadas em um talhão de um ha e cada ponto de amostragem constituído por três plantas, de onde foram amostradas, ao acaso, seis folhas do quarto par de folhas completamente desenvolvidas. As folhas amostradas foram transportadas para o laboratório e a avaliação da população de bicho-mineiro foi realizada sob microscópio estereoscópico. Será realizada uma segunda amostragem, aleatória, de 100 folhas minadas que serão levadas ao laboratório, individualizadas em frascos de vidro de 500 ml, mantidas túrgidas através de metodologia descrita por REIS JR. et al. (2000) em câmara climatizada (BOD) a 25 ± 3 ◦C, fotofase de 14 h e UR = 70 ± 10%) até a emergência dos adultos ou dos parasitóides. Os dados meteorológicos (temperatura e pluviosidade) para o município de Cravinhos foram fornecidos pelo Escritório de Desenvolvimento Rural de Ribeirão Preto (CATI), órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. O esforço amostral será verificado através da curva de saturação das espécies; a riqueza de espécies será considerada como o número total de espécies obtidas nas armadilhas. Serão calculados os índices de diversidade de Shannon e de Simpson; para a estimativa da equitabilidade será utilizado o índice de Hill; as relações entre as populações de himenópteros parasitóides das larvas de lepidópteros serão estabelecidas através de testes de correlações lineares simples e sua significância ou não será estimada através do teste t. (AU)