Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da neuromodulação opiodergica sobre o controle hemodinâmico exercido por áreas bulbares em ratos hipertensos e normotensos submetidos ao exercício físico

Processo: 10/50351-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2010 - 30 de junho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Monica Akemi Sato
Beneficiário:Monica Akemi Sato
Instituição-sede: Faculdade de Medicina do ABC (FMABC). Organização Social de Saúde. Fundação do ABC. Santo André , SP, Brasil
Assunto(s):Exercício físico  Ratos endogâmicos SHR  Núcleo solitário  Hipertensão  Analgésicos opioides 

Resumo

O exercício físico regular pode influenciar significantemente o sistema cardiovascular. Este dispõe de mecanismos refinados de ajuste da pressão arterial, que atuam momento a momento (controle neural) e em longo prazo (controle humoral). O controle neural da circulação depende da ativação de aferentes periféricos (barorreceptores, quimiorreceptores, receptores cardiopulmonares, entre outros), que se projetam para o bulbo via nervo vago e glossofaríngeo, fazendo sua primeira sinapse nos Núcleos do Trato Solitário (NTS). As informações provenientes do NTS são integradas na região caudoventrolateral e rostroventrolateral (RVL) do bulbo. Este importante circuito promove a modulação das eferências simpáticas e parassimpáticas, a fim de regular as variáveis cardiovasculares (débito cardíaco, volume sistólico, freqüência cardíaca e resistência periférica). Apesar de diferentes neurotransmissores e neuromoduladores estarem presentes nestas áreas bulbares, evidências imunocitoquímicas demonstraram que os neurônios do NTS e RVL possuem corpos celulares de neurônios imunorreativos para um peptídeo opióide denominado endomorfina, que difere de outros conhecidos opióides endógenos. A endomorfina liga-se preferencialmente a receptores ja (mu) opióides e atualmente, são conhecidos tipos diferentes deste peptídeo chamados de endomorfina-1 e endomorfina-2 (EM-2). Estudos funcionais demonstraram que microinjeções de EM-2 no NTS e RVL promovem redução da pressão arterial e bradicardia. Porém, não existem descrições sobre possíveis situações fisiológicas em que as endomorfinas modulariam a atividade dos neurônios do NTS e RVL para promover as alterações dos parâmetros cardiovasculares. Por outro lado, diferentes estudos evidenciaram que o exercício físico de baixa intensidade tem-se mostrado eficaz em promover diminuição da pressão arterial e da freqüência cardíaca tanto em animais normotensos quanto em ratos espontaneamente hipertensos (SHR). Além disso, exercícios moderados realizados pelos SHR promoveram a efeitos hipotensivos na mesma magnitude e duração observados nos humanos hipertensos. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MAGLIONE, ANDREA V.; TARANTO, PATRICIA; HAMERMESZ, BRUNO; SOUZA, JANAINA S.; CAFARCHIO, EDUARDO M.; OGIHARA, CRISTIANA A.; MACIEL, RUI M. B.; GIANNOCCO, GISELE; SATO, MONICA A. Impact of swimming exercise on inflammation in medullary areas of sympathetic outflow control in spontaneously hypertensive rats. METABOLIC BRAIN DISEASE, v. 33, n. 5, p. 1649-1660, OCT 2018. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.